PSL quer deputado eleito que quebrou placa de Marielle na presidência da Alerj

Partido defendia nome de André Corrêa para o cargo, mas deputado foi preso por corrupção

Foto: Reprodução

Rodrigo Amorim (PSL), recém-eleito deputado estadual, é o novo cotado pelo PSL para disputar o comando da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O político ganhou notoriedade quando quebrou uma placa em homenagem à vereadora Marielle Franco (PSOL) em ato de campanha.

O partido, antes, defendia o nome de André Corrêa (DEM) para o posto. Mas o deputado foi preso na última quinta-feira (8/11) pela Operação Furna da Onça, um desdobramento da Lava-Jato, que investiga suposto recebimento de propina e distribuição de cargos por deputados do estado do Rio de Janeiro.

O democrata foi preso preventivamente, sob ordem do Ministério Público Federal. No total, foram cumpridos 22 mandados de prisão, dos quais, dez são de deputados estaduais. André, quando ainda cotado para a presidência da assembleia, prometia caça à corrupção e retirada do PSOL da Comissão de Direitos Humanos, ocupada pelo partido há 12 anos.

O deputado eleito Alexandre Kinoploch (PSL) disse que a escolha inicial por André era porque ele representaria o antipetismo, mas, segundo ele, sua prisão deixou o nome fora de cogitação. Alexandre disse, ainda, que Rodrigo Amorim, então, supriria os anseios do PSL no comando da assembleia.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.