Psiquiatra é morto a facadas. Polícia diz não ter pistas objetivas sobre criminoso

Acredita-se que Adilson Bechara, de 65 anos, tenha sido vítima de latrocínio

Adilson Bechara, psiquiatra que trabalhava no Rio de Janeiro | Álbum da família

Adilson Bechara, psiquiatra que trabalhava no Rio de Janeiro | Álbum da família

A polícia ainda não tem pistas objetivas do criminoso (ou criminosos) que matou o psiquiatra Adilson Bechara, de 65 anos. Ou, se tem, prefere não divulgá-las para não prejudicar as investigações. O médico foi assassinado a facadas, no domingo, 14, em Cabo Frio, na Região dos Lagos. A policia aventa a possibilidade de que que o médico reagiu ao assalto, na Praça dos Quiosques, e por isso foi esfaqueado.

Adilson Bechara chegou a ser levado para o Hospital Central de Emergência, mas, dada a gravidade dos ferimentos, não resistiu.

Nas redes sociais, amigos e pacientes lamentaram a morte de Adilson Bechara. “A psiquiatria está de luto, perdemos um amigo, Dr. Adilson Bechara foi mais uma vítima da falta de amor e compaixão ao próximo. Descanse em paz velho guerreiro”, uma pessoa escreveu. “Lamentável o ocorrido com nosso amigo”, disse outro amigo. “Hoje meu coração sangra com tal notícia. Lamentável uma pessoa brilhante com tanto conteúdo ter esse trágico fim”, afirmou uma terceira pessoa.

Uma resposta para “Psiquiatra é morto a facadas. Polícia diz não ter pistas objetivas sobre criminoso”

  1. Avatar Joao disse:

    Pisiquiatra tem mais eh que ser morto trabalha pra industria da morte vampiro travestido de branco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.