PSDB vai orientar bancada a votar a favor da denúncia contra Temer, diz jornal

Deputados estão em plenário para discussão da denúncia da PGR por corrupção passiva e votação deve acontecer ainda nesta quarta-feira (2/8)

Foto: Wilson Dias/EBC/FotosPúblicas

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Ricardo Tripoli (SP), vai orientar a bancada tucana a vota a favor do prosseguimento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva. A informação é do jornal Estado de São Paulo e foi confirmada pela assessoria da liderança do partido.

A decisão seria uma manobra do líder para constranger os dois ministros do PSDB que foram exonerados pelo presidente para retornar à Câmara e votar contra a denúncia. Com a decisão, o ministro de Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE) e ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy (PSDB-BA), deverão contrariar o partido para permanecerem fiéis ao presidente Temer.

Para a votação, é necessário quórum de 342 deputados e a discussão só pode ser encerrada com 257 deputados presente no Plenário. O plenário já atingiu quórum suficiente. Se mantida a posição da CCJ, o processo fica em suspenso e a Justiça só poderá avaliar a denúncia quando Temer deixar o cargo. Caso a Câmara dê autorização, o Supremo Tribunal Federal (STF) poderá seguir com ela.

A votação será por chamada nominal, começando pelos deputados de um estado da Região Norte e, em seguida, os deputados de um estado da Região Sul.

Temer foi denunciado por corrupção passiva após a delação premiada do dono do grupo J&F, Joesley Batista. Para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ele era o real destinatário da mala de dinheiro com a qual o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB) foi flagrado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.