Entre os nomes para a Câmara Federal estão o jornalista Matheus Ribeiro e João Reis, que é pai de Cristiano Araújo; e para Alego, o ex-deputado Welington Camargo

Em processo de montagem das chapas para a Câmara Federal e para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que assumiu o posto de presidente do diretório regional tucano após a saída do também ex-governador José Eliton para o PSB, trabalha com a hipótese de preencher toda a nominata de 18 postulantes à Câmara Federal e de 42 postulantes a Alego, independente da Federação com o Cidadania, que está praticamente acertada. 

Segundo Marconi, ainda não há uma previsão mais acurada de quantos tucanos podem ser eleitos deputados estaduais ou federais. Em 2018 o partido fez um deputado federal, Célio Silveira, que se filiou ao MDB durante a janela partidária, e seis deputados estaduais, Hélio de Sousa e Lêda Borges, que são pré-candidatos a Câmara Federal; Gustavo Sebba, que é pré-candidato a reeleição; e os agora ex-tucanos Talles Barreto (União Brasil), Tião Caroço (União Brasil), Chiquinho Oliveira (MDB) e o prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto (União Brasil), que foi eleito deputado em 2018, mas assumiu a prefeitura em 2021.  

O tucano, porém, confirmou as filiações de Wellington Camargo, Matheus Ribeiro e João Reis. Welington para tentar retornar a Alego após 14 anos. O irmão da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano foi deputado estadual entre os anos de 2003 e 2007. Matheus Ribeiro e João Reis, segundo Perillo, devem estar na nominata de 18 tucanos para a Câmara Federal, ao lado de nomes como o da Lêda Borges, Hélio de Sousa e da vereadora goianiense Aava Santiago (PSDB). Todos devem estar na chapa tucana, fora o Cidadania.