PSDB declara apoio às manifestações do dia 15, mas é contra impeachment

Evento ocorre dia 15 e o tucanato divulgou em nota oficial que irá participar “desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação”

Executiva tucana em reunião na manhã desta quarta-feira (11), decidindo formalização de apoio às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff / Foto: Luiz Wolff

Executiva tucana em reunião na manhã desta quarta-feira (11), decidindo formalização de apoio às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff / Foto: Luiz Wolff

A executiva nacional do PSDB se reuniu nesta quarta-feira (11/3), e em seguida divulgou nota oficial declarando solidariedade às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, marcadas para o dia 15 de março, domingo, em várias capitais brasileiras. O protesto é contra a gestão da presidente, e os manifestantes têm falado sobre um pedido de impeachment da petista.

Entretanto, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou que impeachment “não está na agenda do partido”. “Desconhecer que setores da sociedade defendem essa tese, é desconhecer a realidade. Mas essa não é a agenda, neste momento, do PSDB”, afirmou o ex-candidato à presidência da República.

Em nota, a legenda declarou que defende “a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março”.

Os tucanos também repudiaram qualquer tentativa de deturpar esse direito. Oposição à Dilma, os tucanos alfinetaram a presidente, dizendo que as manifestações não defendem um terceiro turno, mas sim exigem atitude frente aos escândalos de corrupção. “São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises”, pontuou.

Na última segunda-feira (9/3), a presidente Dilma afirmou que as manifestações marcadas para o próximo domingo legítimas, mas ressaltou que defender um “terceiro turno” é “ruptura da democracia”. “A eleição acabou, houve primeiro e houve segundo turno. Terceiro turno das eleições, para qualquer cidadão brasileiro, não pode ocorrer, a não ser que você queira uma ruptura democrática.”

Os tucanos ainda disseram acreditar que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Desta forma, a legenda frisa que através dos militantes, simpatizantes e lideranças, participará do movimento que chamou de “apartidário”.

Leia nota oficial na íntegra:

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) se solidariza com as manifestações de indignação dos brasileiros diante da flagrante degradação moral e do desastre econômico-social promovidos pelo governo Dilma Rousseff.

O PSDB defende a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março em todo o país.

Mais do que uma garantia constitucional, a liberdade de pensamento e de crítica é fundamento essencial para o fortalecimento da vida democrática e o enraizamento social dos valores republicanos.

O PSDB repudia a atitude daqueles que, em nome de seus interesses partidários, cerceiam e deturpam o direito à livre manifestação, e tentam convencer a população de que a crítica aos governantes se confunde com atentados contra a ordem institucional e o Estado de Direito.

Na verdade, ao contrário de que alguns tentam fazer crer, os protestos que ocorrem nas redes sociais e nas ruas não defendem um terceiro turno, mas a rigorosa apuração de responsabilidades sobre a corrupção endêmica incrustrada no corpo do estado nacional, e cobra o abandono dos compromissos assumidos publicamente com a população. São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises.

Acreditamos que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Por isso, o PSDB, através de seus militantes, simpatizantes e várias de suas lideranças participará, ao lado de brasileiros de todas as regiões do país, desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação da sociedade brasileira.

O PSDB reitera seu compromisso com todos os que desejam um país mais forte, íntegro, justo, solidário e democrático.

Senador Aécio Neves
Presidente Nacional do PSDB

Senador Cássio Cunha Lima
Líder do PSDB no Senado Federal

Deputado Carlos Sampaio
Líder do PSDB na Câmara dos Deputados

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Antonio Alves

Como o PSDB está a favor das manifestações e contra o impeachment, se as manifestações são em favor do impeachment? Isso seria como alguém dizer que vai fazer um gol de placa sem dar nenhum chute na bola.