PSDB declara apoio às manifestações do dia 15, mas é contra impeachment

Evento ocorre dia 15 e o tucanato divulgou em nota oficial que irá participar “desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação”

Executiva tucana em reunião na manhã desta quarta-feira (11), decidindo formalização de apoio às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff / Foto: Luiz Wolff

Executiva tucana em reunião na manhã desta quarta-feira (11), decidindo formalização de apoio às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff / Foto: Luiz Wolff

A executiva nacional do PSDB se reuniu nesta quarta-feira (11/3), e em seguida divulgou nota oficial declarando solidariedade às manifestações contra a presidente Dilma Rousseff, marcadas para o dia 15 de março, domingo, em várias capitais brasileiras. O protesto é contra a gestão da presidente, e os manifestantes têm falado sobre um pedido de impeachment da petista.

Entretanto, o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, afirmou que impeachment “não está na agenda do partido”. “Desconhecer que setores da sociedade defendem essa tese, é desconhecer a realidade. Mas essa não é a agenda, neste momento, do PSDB”, afirmou o ex-candidato à presidência da República.

Em nota, a legenda declarou que defende “a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março”.

Os tucanos também repudiaram qualquer tentativa de deturpar esse direito. Oposição à Dilma, os tucanos alfinetaram a presidente, dizendo que as manifestações não defendem um terceiro turno, mas sim exigem atitude frente aos escândalos de corrupção. “São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises”, pontuou.

Na última segunda-feira (9/3), a presidente Dilma afirmou que as manifestações marcadas para o próximo domingo legítimas, mas ressaltou que defender um “terceiro turno” é “ruptura da democracia”. “A eleição acabou, houve primeiro e houve segundo turno. Terceiro turno das eleições, para qualquer cidadão brasileiro, não pode ocorrer, a não ser que você queira uma ruptura democrática.”

Os tucanos ainda disseram acreditar que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Desta forma, a legenda frisa que através dos militantes, simpatizantes e lideranças, participará do movimento que chamou de “apartidário”.

Leia nota oficial na íntegra:

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) se solidariza com as manifestações de indignação dos brasileiros diante da flagrante degradação moral e do desastre econômico-social promovidos pelo governo Dilma Rousseff.

O PSDB defende a livre manifestação de opinião e o direito à expressão dos cidadãos e, portanto, apoia os atos pacíficos e democráticos convocados para o próximo dia 15 de março em todo o país.

Mais do que uma garantia constitucional, a liberdade de pensamento e de crítica é fundamento essencial para o fortalecimento da vida democrática e o enraizamento social dos valores republicanos.

O PSDB repudia a atitude daqueles que, em nome de seus interesses partidários, cerceiam e deturpam o direito à livre manifestação, e tentam convencer a população de que a crítica aos governantes se confunde com atentados contra a ordem institucional e o Estado de Direito.

Na verdade, ao contrário de que alguns tentam fazer crer, os protestos que ocorrem nas redes sociais e nas ruas não defendem um terceiro turno, mas a rigorosa apuração de responsabilidades sobre a corrupção endêmica incrustrada no corpo do estado nacional, e cobra o abandono dos compromissos assumidos publicamente com a população. São manifestações legítimas de um país que vive em plena democracia e se posiciona perante múltiplas e graves crises.

Acreditamos que a participação popular melhora as instituições e eleva os padrões de governança pública. Por isso, o PSDB, através de seus militantes, simpatizantes e várias de suas lideranças participará, ao lado de brasileiros de todas as regiões do país, desse movimento apartidário que surge do mais legítimo sentimento de indignação da sociedade brasileira.

O PSDB reitera seu compromisso com todos os que desejam um país mais forte, íntegro, justo, solidário e democrático.

Senador Aécio Neves
Presidente Nacional do PSDB

Senador Cássio Cunha Lima
Líder do PSDB no Senado Federal

Deputado Carlos Sampaio
Líder do PSDB na Câmara dos Deputados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Antonio Alves

Como o PSDB está a favor das manifestações e contra o impeachment, se as manifestações são em favor do impeachment? Isso seria como alguém dizer que vai fazer um gol de placa sem dar nenhum chute na bola.