PSB exclui da direção quem é contra apoio a Aécio Neves

Com isso, o presidente interino do PSB, Roberto Amaral, e a deputada por São Paulo, Luiza Erundina, ficaram de fora da chapa oficial para a direção do partido

Aécio Neves (PSDB) durante discurso após receber apoio do PSB para o segundo turno

Aécio Neves (PSDB) durante discurso após receber apoio do PSB para o segundo turno

Após declarar apoio ao candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB), a ala pessebista favorável ao apoio ao tucano montou nessa sexta-feira (10/11) uma chapa para concorrer à nova direção da sigla sem os nomes mais próximos ao PT e que defendiam a neutralidade ou o apoio à presidente Dilma Rousseff (PT) neste segundo turno.

Com isso, o presidente interino do PSB, Roberto Amaral, e a deputada por São Paulo, Luiza Erundina, ficaram de fora da chapa oficial para a direção do partido no triênio de 2014 a 2017. A reunião que elegerá o novo diretório está marcada para esta segunda-feira (13).

A chapa é encabeçada por Carlos Siqueira, até então primeiro secretário da sigla. A articulação foi feita em conjunto com o grupo de Pernambuco, estado de Eduardo Campos, que presidia a sigla até morrer em um acidente aéreo em agosto.

Fortalecido após o resultado das urnas, o governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara, ficou com a vice-presidência. Outros dois pernambucanos integram a chapa: o ex-ministro de Integração e senador eleito, Fernando Bezerra, e o prefeito de Recife, Geraldo Júlio.

A articulação, além de aproximar o partido do PSDB, afasta-o ainda mais de Marina Silva (PSB-Rede), que foi derrotada nas urnas. Carlos Siqueira, que deve assumir o comando da sigla, se desentendeu com ela no dia em que o PSB a escolheu para ocupar o lugar de Eduardo Campos na chapa presidencial.

Deixe um comentário