Próximo ao colapso do sistema de saúde e com limitação de oxigênio, prefeito de Luziânia afirma que “esse é o pior momento da pandemia”

Nas últimas 24 horas, 144 novos casos foram confirmados. A taxa de ocupação dos leitos de UTI é de 95% e 98% das enfermarias. 192 pessoas já morreram vítimas da Covid-19

A região do Entorno de Brasília tem hoje a maior taxa de contágio da Covid-19 em Goiás. O prefeito de Luziânia, Diego Sorgatto, afirma que o atual cenário da cidade é o pior desde o início da pandemia. “Estamos vivendo sem sombra de dúvidas o pior momento de toda pandemia não só em Luziânia, como em todas as cidades do Entorno do Distrito Federal”.

Nas últimas 24 horas, 144 novos casos foram confirmados. Ao todo, mais de 11 mil pessoas já contrariam a doença e 192 morreram vítimas da Covid-19. A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Regional de Luziânia, nesta quinta-feira, 25, é de 95% e 98% das enfermarias. Das 40 unidades de UTI existentes atualmente no município, apenas 02 estão disponíveis. “A situação é grave e muito séria. Quintuplicamos o número de leitos aqui em Luziânia na nossa gestão e praticamente todas estão ocupadas”, declarou o prefeito.

As atividades não essenciais estão suspensas na cidades desde segunda-feira, 22. A prefeitura de Luziânia anunciou um novo decreto com medidas mais restritivas do comércio para diminuir a transmissibilidade do vírus, a fim de evitar o colapso no sistema de saúde. A medida por ter duração de até 14 dias.  

Segundo o prefeito, a pior situação é  referente a complexidade no reabastecimento de oxigênio na cidade. “Os fornecedores estão tendo dificuldades em entregar o que é solicitado. Temos trabalhado para conseguir viabilizar o nosso estoque para que não falte oxigênio aos nossos pacientes”, frisou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.