Proposta orçamentária estadual para 2015 prevê foco na Segurança Pública, com investimentos de R$ 2,266 bilhões

Educação e saúde seguem na lista de prioridades para o próximo ano com 16,83% (4,077 bi) e 13,36% (2,093 bi), respectivamente

A Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan) definiu como maior ponto de investimento na proposta orçamentária de 2015 a Segurança Pública no Estado de Goiás. De acordo com o texto, serão investidos 28,66% neste item, o que totaliza R$ 2,266 bilhões. Educação e saúde seguem na lista de prioridades para o próximo ano com 16,83% (R$ 4,077 bi) e 13,36% (R$ 2,093 bi), respectivamente.

No orçamento também está descrito que as receitas de 2015 totalizam R$ 23,5 bilhões, apresentando um aumento de 5,95% em relação a 2014, quando o valor era de R$ 22,1 bilhões. “Basicamente leva em consideração o crescimento PIB, o esforço de arrecadação e a inflação. Também uma série histórica que o Estado vem ganhando números em sua receita nos últimos anos. Isso faz com que nossa economia fique mais pungente e resulte nesse aumento sucessivo de sua arrecadação”, diz o secretário provisório de Gestão e Planejamento, Otávio Alexandre, em entrevista ao Jornal Opção Online.

De acordo com os dados apresentados no texto, a receita tributária deve aumentar em 16,72%, o que representa um montante de R$ 16,5 bilhões, sendo que R$ 14,2 bilhões desse valor é referente ao possível aumento na arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Otávio Alexandre explicou como se deu o incremento no imposto de renda e no IPVA. “A fiscalização aliada ao aumento da frota de veículos faz que a arrecadação seja cada vez maior. Da mesma forma acontece com o imposto de renda, pois este vem da base gerado dentro da folha de pagamento do próprio estado, então se aumenta folha também aumenta a arrecadação”, afirmou.

Plano de Ações Integradas de Desenvolvimento

Dentro da Lei Orçamentária Anual (LOA) para o próximo ano também consta as ações do Plano de Ações Integradas de Desenvolvimento (PAI). O programa é voltado para a execução de programas para economia, infraestrutura, gestão, desenvolvimento regional, institucional e para a comunicação. “No inicio do governo Marconi nós elaboramos um Plano que duraria por todo o mandato e por mais um ano, porém a medida teve que ser alterada”, diz Otávio.

No Plano serão destinados R$ 3,6 bilhões, sendo que o maior deles será destinado à área social. “A partir do momento que o Estado apresentou certa dificuldade financeira, optamos por um plano de desenvolvimento anual”, afirma Otávio. Ele também garante que o governo considerou ações prioritárias para a sociedade e afirma que “aqueles que recebem maior atenção são os que geram maior benefício para a população.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.