Proposta de Bruno Peixoto cria 1,7 mil cargos comissionados no interior do Estado

Líder do Governo na Assembleia Legislativa adiantou que os novos admitidos terão remuneração de R$ 1,1 mil. Peixoto garante que não haverá impacto financeiro

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Bruno Peixoto (MDB), irá apresentar, na tarde desta terça-feira, 21, seu voto em separado ao projeto de Reforma Administrativa que se encontra em tramitação na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Ao Jornal Opção, o líder adiantou que sua manifestação no pedido de vista prevê alguns ajustes “pontuais”. Dentre eles, serão criados 1,7 mil cargos comissionados para o interior do estado. A remuneração prevista para os novos admitidos será de R$ 1,1 mil.

À reportagem, Peixoto explicou que, para isso, algumas remunerações dos atuais servidores comissionados deverão ser reajustadas. Desta forma, o deputado garante que não haverá impacto financeiro aos cofres do Estado — haja vista que os novos salários serão compensados com a redução dos demais. “E ao mesmo tempo garantirá mais oportunidades de emprego para as pessoas”, acrescentou. 

O voto em separado do líder do Governo para a Reforma Administrativa será apresentado na tarde desta terça-feira, 21, na reunião da CCJ e seguirá, posteriormente, para o Plenário da Casa. Lá, o texto será apreciado em primeira discussão e votação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.