Promotora do Rio afirma que porteiro mentiu sobre ligação para casa de Bolsonaro

Simone Sibilio diz que MP fluminense teria confrontado funcionário do condomínio com áudios que desmentiriam sua versão, constatando indícios de inveracidade  

Foto: reprodução/ Agência Brasil

A procuradora do Ministério Público, Simone Sibilio, que chefia o Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) afirmou na tarde desta quarta-feira, 30, que o depoimento do porteiro que citou o nome do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no caso Marielle foi mentiroso.

Segundo Simone, quem autorizou a entrada de Élcio teria sido de fato Ronnie Lessa, morador do condomínio, suspeito de efetuar os disparos. Nos depoimentos prestados à Polícia Civil, o funcionário do condomínio teria sido confrontado com áudios e deixado suspeitas com relação à veracidade das informações.

“As gravações comprovam que Ronnie Lessa é quem autoriza a entrada do Élcio. E, em depoimento, eles omitiram diversas vezes que estiveram juntos no dia do crime. O porteiro mentiu, e isso está provado por prova técnica”, afirmou a promotora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.