Prefeito de Rio Verde prometeu municipalizar água e esgoto, mas agora assume inviabilidade

Paulo do Vale alegou que ação levaria tempo, e decidiu pela criação de uma Agência de Regulação

O prefeito de Rio Verde, Paulo Faria do Vale (MDB) prometeu durante sua campanha, em 2016, que reduziria as tarifas de água e esgoto na cidade, por meio da municipalização desses serviços. Em discurso gravado em vídeo e veiculado na época, ele dizia: “No primeiro mês do nosso mandato, vamos buscar na Justiça a municipalização da água e do esgoto. Uma vez municipalizado, as tarifas serão reduzidas”.

Paulo fez, ainda, uma comparação entre os preços das tarifas de Rio Verde e da cidade vizinha, Mineiros. “Uma água em Rio Verde que fica por R$ 200, em Mineiros ficaria por R$ 60. Não podemos conviver mais com água e esgoto com preços fora da realidade”, concluiu o prefeito.

Entretanto, em 2019, a promessa ainda não foi cumprida. Ele alega que a proposta foi revista. Segundo o gestor, após uma análise jurídica, a prefeitura entendeu que o trâmite judicial levaria um longo período de tempo. Assim sendo, decidiram como mais viável a implementação da Agência Municipal de Regulamentação.

De acordo com Paulo, o órgão oferece condições de analisar a qualidade do serviço e valores cobrados. O prefeito não descarta a possibilidade de retomada da pauta nas próximas gestões, “caso a Agência de Regulamentação entender que os serviços prestados pela Saneago não estão sendo satisfatórios, aí sim pode ser que caia a concessão”, afirmou.

O projeto que criou a Agência Municipal de Regulação dos Serviços de Água e Esgoto de Rio Verde foi aprovado na Câmara Municipal, em junho de 2018, sob a justificativa de efetuar de forma mais eficaz a fiscalização, podendo suprir as necessidades da população usuária dos serviços.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.