Projeto quer transformar Avenida Castelo Branco no maior polo de agronegócio do país

Principal ponto da proposta defendida por comerciantes da região é impedir que seja implantado corredor exclusivo para ônibus na via

Reprodução

Um projeto intitulado Castelo Branco Competitiva que envolve empresários e o poder público promete transformar a Avenida Castelo Branco, em Goiânia, no maior polo do agronegócio do país.

De acordo com o presidente da Câmara do Agronegócio da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Ricardo Cantaclaro, o projeto é ambicioso e trará benefícios não só para os comerciantes como também para os moradores da região e a sociedade em geral.

“O projeto abrange aspectos que contribuem para o desenvolvimento do polo agropecuário, como a melhoria do trânsito na região, permitindo melhor escoamento do tráfego e principalmente que o cliente possa estacionar na porta da loja”, exemplifica.

Para Ricardo, esse é um ponto fundamental do projeto que visa acabar com qualquer possibilidade de implantação de corredor exclusivo de ônibus na avenida.

“Isso serio o mesmo que decretar a falência dos comércios que ali existem. As lojas da avenida vendem maquinários, peças de tratores, mercadorias grandes… É imprescindível que o cliente consiga estacionar a caminhonete ou caminhão na porta da loja e carregar as mercadorias”, avalia.

Ricardo adianta que empresários e entidades de classe vão doar um projeto urbanístico da avenida à Prefeitura de Goiânia que, segundo ele, se comprometeu a executar as mudanças. O projeto prevê adequações no canteiro central da Castelo Branco, além de melhorias na iluminação, na sinalização de trânsito e das calçadas da avenida.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Fernando Contart

“Quando o milagre é muito o santo desconfia”,ainda,”nem tudo que reluz é ouro”…esse cidadão que foi entrevistado tem prédios comerciais nessa avenida próximo a ponte do córrego cascavel,invade parte de rua existente no projeto urbanístico e não implantada,tem interesse direto nessa proposta pois aluga os referidos prédios e também tem processos em andamento pra aquisição da rua que essa poderia ser fundamental no projeto da marginal cascavel naquele ponto,como opção de alça de acesso a av castelo branco ,sem contar que dão a entender que existe interesses maiores na secretaria responsável pelas alterações na avenida,tudo pelo fato de beneficiar um… Leia mais