Serão ofertados cursos de capacitação, empreendedorismo e formação de dirigentes, para que as cooperativas de reciclagem sejam competitivas e sustentáveis

Cerca de 300 famílias dependem das cooperativas de reciclagem em Goiânia / Fernando Leite/Jornal Opção

Parceria do Sistema OCB/SESCOOP-GO e Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) em parceria com o Ministério Público de Goiás, Senai Goiás e Universidade Federal de Goiás (UFG) pretende profissionalizar e capacitar as cooperativas de reciclagem da Grande Goiânia

O projeto foi formalizado durante o evento “Cooperativismo e Meio Ambiente: 1º Encontro de Empreendedorismo das Cooperativas de Reciclagem da Região Metropolitana de Goiânia”, realizado na capital.

A ideia é oferecer cursos de capacitação, empreendedorismo e formação de dirigentes, para que as cooperativas de reciclagem sejam competitivas e sustentáveis. “Queremos sensibilizar as cooperativas de reciclagem, para que possam integrar o Sistema OCB/SESCOOP-GO”, destaca o presidente do Sistema OCB/SESCOOP-GO, Luís Alberto Pereira.

Inclusão no Sistema S

Para o presidente da AMMA, Gilberto Marques Neto, esse projeto poderá ajudar a elevar a posição de Goiânia de terceira para primeira cidade que mais recicla no país.

“A ideia é fazer a inclusão dessas cooperativas no Sistema S e buscar uma ampliação da capacitação e da formação de redes, para que possam ampliar o trabalho delas. Com isso, poderemos buscar outros caminhos para a efetiva inclusão social dessas pessoas”, explica o promotor Juliano de Barros, representante do Ministério Público de Goiás.

A UFG foi representada no evento pelo professor Bartolo Fernandes, que faz parte do Projeto Incubadora, da universidade. Para ele, o projeto será importante para que as cooperativas de reciclagem possam vivenciar o sétimo princípio do cooperativismo, que é a intercooperação.

Jhonathan Maciel, que representou o Senai Goiás, reforçou a necessidade de se avançar nos programas do poder público municipal. “É preciso repensar como as escolas estão fazendo gerenciamento de resíduos, os hospitais, as outras instituições públicas. E as cooperativas podem contribuir com esse projeto, por meio de uma ação de conscientização, um programa nessa linha de atuação.”

Lixo extraordinário

Para encerrar o evento, o público assistiu ainda a uma palestra do empreendedor social Tião Santos, que atuou na diretoria da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis do Jardim Gramacho/RJ (criada por sua mãe) e fundou a Associação dos Catadores do Aterro Metropolitano do Jardim Gramacho/RJ (ACAMJG). Ele ficou internacionalmente conhecido por protagonizar o documentário “Lixo Extraordinário”, do artista plástico Vick Muniz, que concorreu ao Oscar, em 2011.

Em sua palestra, Tião apontou a obrigatoriedade legal das empresas brasileiras de reciclar 20% dos resíduos que colocam no mercado. Segundo ele, no Brasil, o pouco fôlego da reciclagem tem a ver com a falta de consciência ambiental da grande maioria dos brasileiros.