Projeto prevê doação de terrenos no Daia para mais de 200 empresas, incluindo Enel

Áreas somam mais de um milhão de metros quadrados, dos quais 10 mil metros seriam doados para construção de subestação de energia elétrica

Na tarde desta terça-feira, 27, o presidente da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego), Renato de Castro, se reuniu com deputados na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alego. Castro explicou o projeto do governo estadual que prevê doação de área para a construção de subestação de energia elétrica a ser operada pela Enel Goiás, no Daia.

O projeto havia sido proposto ainda em 2019 e sugere a transferência de três áreas localizadas em Anápolis. Um dos terrenos, com 10 mil metros quadrados, seria doado à Enel. De acordo com o presidente, “o aporte dessas áreas [todas as três] seriam suficientes para assentar até 200 novas empresas no Daia” e somadas representam quase um milhão de metros quadrados. Já a parte de doação para a Enel “é uma pequena área de menos de um hectare, que não representa nem 1% do total da área”, destinada a construir a subestação.

Parceria e soluções

Segundo Castro, a empresa Brainfarma propôs parceria para construir a subestação e repassar à Enel. “Eles já estavam em negociação, porque estão fazendo uma expansão importante. E para crescer vão precisar de muita energia elétrica. Então a ideia é construir uma nova subestação para atender a Brainfarma e liberar a carga que hoje é consumida de outra subestação para atender os demais consumidores da região”, informou.

O presidente ainda confirmou que parte do terreno previsto para doação à companhia se localiza a montadora Caoa. “A Caoa é uma empresa importante que foi assentada ali, e a ideia nossa hoje é de resolver os problemas jurídicos do passado”, afirmou. Ele disse, ainda, que a demanda é da Caoa e de outras empresas ali assentadas. “Estamos trabalhando para resolver esses problemas jurídicos”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.