Projeto educacional ensina física de maneira didática e prática para alunos de Aparecida

O projeto de ensino envolveu 38 alunos de uma turma do 1º ano do Ensino Médio e durou aproximadamente três meses

Foto: Divulgação

Mesmo presente no dia a dia, muitos estudantes possuem dificuldades para assimilar o conteúdo relacionado às ondas eletromagnéticas e mecânicas. É o que relata o professor da unidade do Serviço Social da Indústria (SESI) de Aparecida de Goiânia, Rodrigo da Silva. Pensando nisso, o educador desenvolveu o “Que onda é essa?”. O projeto de ensino envolveu 38 alunos de uma turma do 1º ano do Ensino Médio e durou aproximadamente três meses. Os estudantes realizaram uma avaliação no final do período.

“Nós integramos as disciplinas de química, física e biologia para que o estudante entenda os fenômenos de uma forma mais tranquila, mais integrada. Então o grande objetivo era que ele compreendesse o assunto ondas mecânicas e eletromagnéticas e as suas aplicações. Mas que ele compreendesse de fato, que ele compreendesse fazendo”, afirma.

O professor destaca as atividades práticas realizadas durante o projeto e explica como isso ajudou os alunos a assimilarem os conteúdos expostos. “Eles brincaram com controle remoto apontando para o celular. Eu não sei se você já percebeu, se você pegar o controle remoto e apontar para o celular você vai conseguir ver o infravermelho com a câmera. Então eles perceberam que, para chegar naquilo, teve conhecimento, teve uma estrutura de engenharia. Tem um circuito integrado, uma equação. O bacana é isso: eles estão percebendo essa relação. E você construir o conhecimento de uma forma lúdica”, afirma.

Rodrigo da Silva considera que, em muitos casos, os conteúdos de ondas mecânicas e eletromagnéticas são tratados de forma “burocrática” pelos livros. Segundo ele, o projeto faz com que os estudantes aprendam o assunto de forma real e contextualizada. “O ‘Que onda é essa?’ teve como objetivo fazer com que o aluno percebesse um conteúdo, que normalmente é tratado burocraticamente no livro, é tratado burocraticamente no quadro da sala de aula, de uma forma real, de uma forma contextualizada. De forma que ele não fique desmotivado e que ele não ache chata a aula”, defende.

O professor também destaca o caráter de integração e o desenvolvimento de características psicológicas dos alunos através de trabalhos em grupo. “Esses desafios, muitas vezes, eram em grupos e nós os forçamos a mudarem os grupos que eles trabalham. Então ele não vai fazer só por afinidades, ele vai fazer um grupo também conforme nós vamos orientando. Então com isso, eles vão lidando com várias competências socioemocionais que é entender diferenças, trabalhar a cooperação, trabalhar o trabalho em grupo, trabalhar a liderança, exercer a liderança, criar hierarquias”, disse.

Premiação

O projeto “Que onda é essa?” representou o Departamento Regional de Goiás durante o 3º Encontro Nacional do Sistema Estruturado de Ensino da Rede SESI 2018.

Na opinião do Gerente-Executivo do SESI, Sérgio Gotti, o encontro é uma forma de reconhecimento aos professores. “É uma forma de reconhecimento, é uma forma de realmente o SESI, o departamento nacional assim como os departamentos regionais reconhecerem esse trabalho de excelência que eles (os professores) desenvolvem em sala de aula. E que tem gerado um impacto muito grande na aprendizagem dos nossos alunos”, defende.

O evento reuniu representantes dos Departamentos Regionais de todo o país nos dias 29 e 30 de novembro, em Brasília. Ao todo, 20 experiências bem-sucedidas desenvolvidas em unidades do SESI em diferentes cidades brasileiras foram expostas durante o evento.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.