“Projeto de Vanderlan é o mais ousado para Goiânia”, afirma José Eliton

Vice-governador critica, ainda, “propostas inconsistentes” de alguns candidatos para a segurança pública

Vice-governador defendeu que  projeto de Vanderlan Cardoso prefeito e Thiago Albernaz vice é o melhor e mais moderno para Goiânia

Vice-governador defendeu que projeto de Vanderlan Cardoso prefeito e Thiago Albernaz vice é o melhor e mais moderno para Goiânia

O vice-governador e secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária José Eliton (PSDB) defendeu que a candidatura de Vanderlan Cardoso (PSB) à Prefeitura de Goiânia colherá ações proativas que o governo estabelece como plataforma de execução nas áreas de infraestrutura, segurança, educação e saúde.

“Somado ao que pensa, ao que defende, ao seu histórico como gestor, [o governo, com suas ações] dará a ele a contribuição e a capacidade de convencimento do eleitor de que o seu projeto é o mais moderno e o mais ousado para fazer de Goiânia uma das melhores capitais do país”, defendeu.

O vice-governador defendeu ainda, durante entrevista à Rádio 730 na última segunda-feira (29/8), que o projeto de Vanderlan e seu vice Thiago Albernaz (PSDB) é o melhor para a capital goiana.  “Estou convencido disso e vou, dentro das possibilidades, buscar ajudá-los no convencimento da população goianiense”, enfatizou, dizendo ainda que a Operação Decantação não deve impactar a candidatura do ex-prefeito de Senador Canedo.

Segurança

 

Eliton criticou também a postura de alguns candidatos que apresentam “propostas inconsistentes” para a segurança pública. “Me parece que há uma falta de compreensão da legislação por parte de alguns postulantes, seja no âmbito constitucional, seja no âmbito infraconstitucional, no que se refere à competência de cada ente para determinadas ações”, reiterou.

Apesar de defender que a obrigação de zelar pela segurança pública deve ser compartilhada com municípios e União, ele esclareceu que a legislação define que a segurança é competência dos entes estatais. “Há um discurso que, obviamente, tem objetivo de angariar votos. Vemos uma série de propostas vulneráveis, como a de militarizar a guarda municipal, o que não é permitido pela legislação”, disse.

 

Para José Eliton, os candidatos deveriam se ater às competências do ente municipal em colaboração com o estado na proteção social. “Se os municípios derem prioridade às ações que são originárias de sua competência, por exemplo, na educação de qualidade, na saúde municipal digna com o bom funcionamento dos cais, na iluminação pública que atenda às necessidades, já vão estar colaborando muito com a segurança pública”, enfatizou.

Segundo o vice-governador, é claro que as guardas municipais, no âmbito de sua competência, podem atuar de maneira convergente com a Polícia Militar e com a Polícia Civil, mas dentro de uma ação planejada, dentro de um planejamento tático-operacional. “Mas discutir a substituição do papel da PM ou da PC por outro ente que não tenha competência constitucional é impossível”, defendeu.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.