Projeto de Lei quer ampliar acessibilidade de cadeirantes no transporte público

Matéria propõe implantação de nova tecnologia para que passageiro possa acionar rampa sem ajuda do motorista

Tramita na Assembleia Legislativa de Goiás um projeto de lei que propõe a implementação de cartão eletrônico que possibilite maior acessibilidade a pessoas que andam de cadeira de rodas ou são portadoras de necessidades especiais.

A matéria de autoria do deputado Marlúcio Pereira (PSB) propõe que o cartão eletrônico acione a rampa de acesso para portadores de deficiência, permitindo o embarque do passageiro sem a necessidade de ajuda por parte do motorista.

Se a proposta for aprovada, todas as empresas de transporte coletivo que atuam em Goiás serão obrigadas a, no prazo de até cinco anos, modificar o funcionamento da rampa de acesso de deficientes, permitindo que esta seja acionada pelo próprio passageiro cadeirante ou seu acompanhante, por meio de cartão eletrônico.

Segundo o parlamentar, a ideia foi desenvolvida pela Associação Comunitária do Setor Madre Germana II (Acommag II) e pela Associação dos Deficientes Físicos do Estado de Goiás (Adfego) e tem como objetivo reduzir os transtornos gerados pelo atual sistema, no qual o motorista do ônibus é responsável por ativar a rampa.

“O procedimento que aciona a estrutura que garante a cadeirantes o acesso em ônibus muitas vezes é demorado, gerando irritação por parte dos usuários e do condutor do transporte coletivo, que está com pressa e apreensivo para cumprir o horário de sua rota”, contextualiza o projeto.

A matéria foi aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) e na Comissão de Saúde e Promoção Social. Apta a ser submetida ao Plenário, a propositura compõe a pauta da próxima sessão ordinária da Assembleia Legislativa de Goiás, quando deve ser apreciada pelos parlamentares em fase de primeira discussão e votação. (Com Comunicação Alego)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.