Projeto de lei obriga ensino de artes marciais nas escolas de Goiânia

Matéria, se aprovada, obrigará o poder público a assegurar a oferta da nova disciplina a todos os alunos com idade igual ou superior a 7 anos de idade que se interessarem

Vereador Vinícius Cirqueira (PROS) | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

Começa a tramitar na Câmara de Goiânia projeto de lei de autoria do vereador Vinícius Cirqueira (PROS), que determina a inclusão do ensino de artes marciais como atividade complementar obrigatória nas unidades educacionais da Prefeitura de Goiânia.

Segundo o texto, consideram-se artes marciais “as atividades físicas que, sob a forma de lutas, possuam como finalidade contribuir para a integração dos praticantes na promoção da saúde e educação e no exercício da cidadania”.

A matéria, se aprovada, obrigará o poder público a assegurar a oferta da nova disciplina a todos os alunos com idade igual ou superior a 7 anos de idade que se interessarem. Além disso, o texto deixa claro que as aulas regulares de Educação Física continuarão a existir como componente curricular obrigatório.

De acordo com o autor, “as artes marciais, como atividade regular de aprendizagem nas escolas públicas municipais, possibilitarão o incremento na formação pessoal e educativa dos alunos, uma vez que os praticantes, invariavelmente, desenvolvem a autoconfiança, o equilíbrio, a disciplina e o respeito, além da socialização e da cultura em sentido amplo”.

Cirqueira, que é atleta de Taekwondo – luta olímpica de origem coreana, afirma que as artes marciais se fundam em filosofias pautadas no caráter, na determinação e no companheirismo, “elementos fundamentais para a construção de uma sociedade próspera”.

O parlamentar espera que a matéria seja aprovada para, segundo ele, diminuir a evasão escolar e melhorar a qualidade do ensino na rede municipal.

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Francisco

Vereador faixa preta q pensa em nossas crianças parabéns são de homens assim q a política precisa

Israel

No papel é lindo, quero ve é funcionar, já que a grade curricular escolar está apoiada na lei e nos PCNs e não sai do papel. Certas escolas trabalham este conteúdo”lutas” em contra turno e não como parte da disciplina de Educação Física Escolar.