Projeção aponta que Goiás pode ter mais de mil mortos por Covid-19 até final de junho

Número de casos é projetado para cenário com redução do distanciamento social registrado entre 14 e 27 de abril. Se o índice for mantido, número de óbitos cai para até 662 pessoas

Foi divulgada a primeira nota técnica do Grupo de Trabalho em Modelagem da Expansão Espaço-Temporal da COVID-19 em Goiás. O grupo é formado por estudiosos da Universidade Federal de Goiás (UFG) e tem o objetivo de estimar o impacto da doença, considerando estimativas do número de casos, hospitalizações e óbitos ao longo do tempo e sob diferentes cenários de isolamento e distanciamento social.

Tendo em vista que a redução do nível de distanciamento social promove, até 11 dias depois, um aumento detectável no número de novos casos confirmados da Covid-19, a projeção levou em conta dois cenários: o verde, que assume que nos próximos dois meses o nível de distanciamento social em cada município goiano será mantido no mesmo nível que foi observado entre os dias 21 e 27 de abril; e o cenário vermelho, que assume que o nível de distanciamento social em cada município seguirá a mesma tendência de variação, entre os dias 14 e 27 de abril, que foi observada no nível de distanciamento social em cada município.

O intervalo de confiança do estudo é de 95%. A incerteza reflete a a variabilidade natural na resposta das pessoas à infeção por coronavírus e a evolução do vírus na população.
De acordo com o estudo, o índice de transmissão da Covid-19 foi fortemente impactada e reduzida em Goiás no mês de abril. O estudo leva em consideração a taxa de isolamento social detectada entre os dias 14 e 27 desse mês.

Leitos

De acordo com a projeção, a demanda por leitos hospitalares e de UTIs tem números contrastantes nos dois cenários. No cenário verde, com o nível de distanciamento social mantido, espera-se uma demanda entre 440 e 1380 leitos clínicos no final de maio, e entre 1550 e 3950 leitos clínicos no final de junho.

Já no cenário vermelho, levando em conta a tendência de redução do isolamento,espera-se uma demanda entre 511 e 1600 leitos clínicos no final de maio, e entre 5740 e 11060 leitos clínicos no final de junho.

Para os leitos de UTI, a perspectiva se mantém: no cenário verde espera-se uma demanda 56 e 136 leitos de UTI no final de junho, e no cenário vermelho o número aumenta para entre 200 e 385 leitos no mesmo período.

Óbitos

As projeções de óbitos acumulados quase dobra de um cenário para outro. O estudo traz números assustadores. No cenário verde, projeta-se um intervalo entre 55 e 190 óbitos até o final de maio, e 221 e 662 óbitos até o final de junho.

Já no cenário vermelho, projeta-se um intervalo entre 65 e 204 óbitos até o final de maio, e 474 e 1151 óbitos até o final de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.