Profissionais formados pelo Fies poderão substituir cubanos

De acordo com ministro da Saúde, a proposta será apresentada a equipe de transição do presidente eleito

Ministro da Saúde, Gilberto Occhi I Foto: Reprodução

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, anunciou nesta sexta-feira (16/11) que irá propor à equipe equipe de transição do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), que o déficit das vagas deixadas pelos cubanos sejam preenchidas por médicos formados com auxílio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O Fundo pertence ao Ministério da Educação do Brasil e tem por objetivo financiar o período de graduação de jovens universitários que não possuem condições de estudarem em universidades da rede privada de ensino.

Occhi se pronunciou durante uma cerimônia em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, mas não deu muitos detalhes sobre a sugestão. Ele disse também que até a próxima terça-feira (20/11) o edital para recrutamento de novos médicos deve ser lançado a fim de que esses profissionais ocupem o lugar que será deixado pelos cubanos ao se ausentarem do País.

Segundo o ministro, as vagas deverão ser preenchidas por médicos brasileiros inscritos no Conselho Regional de Medicina (CRM) obtido no Brasil. Quanto aos brasileiros que não são formados no País, ele ressaltou que, passado um determinado tempo, as vagas serão estendidas também à essas pessoas. Segundo Occhi estima-se que exista entre 15 e 20 mil profissionais prontos para preencherem essas vagas.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sandoval Neto

todo médico formado em universidade federal deveria por obrigação dar um ano de serviço publico , inclusive os médicos militares deveriam também atender no SUS