Professor do Insper aponta plágios em defesa de mestrado de novo ministro da Educação, Carlos Decotelli

Segundo Thomas Conti, um programa de detecção de plágio teria mostrado que mais de 10% da dissertação foi copiada integralmente sem deixar claro que havia sido citação

Carlos Decotelli da Silva vai assumir a Ministério da Educação | Foto Divulgação

Thomas Conti, professor do Insper, postou em seu perfil no Twitter o que ele aponta como “muitos indícios de plágio na dissertação de mestrado defendida na FGV em 2008” pelo novo ministro da Educação Carlos Decotelli. Ao longo de diversas postagens, o economista divulga prints dos trechos da defesa de mestrado do ministro que seriam idênticos aos registros do relatório da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Banrisul.


“Para quem não tem familiaridade com o mundo acadêmico, embora a dissertação dele seja sobre a governança corporativa do Banrisul, não se copia e cola trechos escritos por outra pessoa sem deixar claro que é uma citação e de onde vem a citação. Ainda mais em trechos longos assim”, apontou Conti.

No currículo de Decotelli, consta que ele trabalhou no Banrisul como professor entre os anos de 2004 a 2005, conforme afirmou o economista e professor do Insper. No entanto, o CVM foi elaborado em 2007 e publicado em 2008 sem qualquer menção a Decotelli. “Tinha tanta coisa parecida entre esse relatório da CVM e a dissertação que eu desisti de achar as partes iguais na mão e joguei em um software de detecção de plágio. Mais de 10% da dissertação de mestrado é cópia idêntica ao relatório da CVM. 4.200 palavras”, afirmou Conti em outra publicação.


O perfil, na mesma rede social, O Outro Lado #Forabolsonaro também encontrou uma outra página da dissertação do ministro da Educação que estava integralmente idêntica a outro artigo, intitulado “A Abordagem Institucional na Administração”, conforme também expôs Conti posteriormente, “sem aspas e sem citação”.

Além dos indícios de plágio, na última sexta-feira, 26, o reitor da Universidade de Rosário, na Argentina, Franco Bartolacci, disse que Decotelli não colou grau de doutor na instituição. Embora tenha cumprido com o programa de aulas, não ficou comprovado pelo governo que o ministro entregou, de fato, sua tese de doutorado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.