Professor de Medicina é preso após chamar porteiro de “preto safado”

Médico cardiologista tentava sair de prédio quando discutiu com porteiro; segundo a advogada do professor, o flagrante foi forjado

Professor foi preso e indiciado após xingar porteiro | Foto: Reprodução

O médico cardiologista e professor da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) Herbert Monteiro da Silva foi preso em flagrante e indiciado por ter supostamente ter xingado o porteiro de um prédio, em Cuiabá, de “preto, preto vagabundo e safado” durante uma discussão.

O caso aconteceu no último dia 4 e o professor acabou sendo solto após pagar uma fiança de R$ 5 mil. A investigação está sob responsabilidade da Polícia Civil do Mato Grosso.

De acordo com o boletim de ocorrência, Herbert se irritou quando tentava sair do condomínio. Ele estava sem o controle do portão e começou, segundo o documento, a buzinar e xingar o porteiro de “preto” e “preto, vagabundo e safado” enquanto ordenava que ele abrisse o portão e liberasse sua saída.

Ele saiu do prédio e voltou em seguida. A Polícia Militar foi chamada e foi ao apartamento onde o professor estava. Ele se recusou a sair e os policiais arrombaram a porta para darem voz de prisão. Em seguida, o médico foi levado à Central de Flagrantes.

A advogada de Herbert, Sueli Silveira, disse ao G1 local que o flagrante foi forjado e que existiu abuso por parte da Polícia Militar durante a abordagem. Segundo Sueli, foi ela quem aconselhou o professor a não abrir a porta. A advogada também afirmou que o flagrante foi forjado, porque havia profissionais da imprensa no prédio quando ela chegou ao local.

A Polícia Civil informou que o médico já havia se envolvido em uma discussão com o síndico do apartamento em janeiro deste ano. Na época o síndico registrou um boletim de ocorrência contra o cardiologista por ameaça.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.