Procurador geral de Goiânia nega que Estado tenha doado caminhões de lixo para o município

Programa tucano afirmou que o Estado teria doado 50 caminhões compactadores para a gestão municipal. Conforme Carlos Freitas, no entanto, o repasse não ocorreu

O procurador geral do município de Goiânia, Carlos Freitas, não confirma a informação veiculada durante horário eleitoral pela coligação “Garantia de um Futuro Melhor para Goiás” do governador e candidato à reeleição Marconi Perillo (PSDB). Na última segunda-feira (22) e nesta segunda-feira, o programa afirmou que o Estado teria doado 50 caminhões para a coleta de lixo na capital.

No entanto, conforme defendeu Carlos Freitas, em nota, a administração municipal ainda não recebeu do Estado qualquer recurso para o setor. “Repudiamos, veementemente, a afirmação distorcida do programa eleitoral do candidato Marconi Perillo, pois entendemos que teve o propósito tão somente de confundir a opinião pública e denegrir a imagem da administração”, defende o procurador geral.

Confira na íntegra a nota divulgada pela Secretaria Municipal de Comunicação:

Diante das informações erradas apresentadas no programa eleitoral do candidato Marconi Perillo, julgo extremamente importante esclarecer para a população de Goiânia e de Goiás a verdade sobre o convênio assinado pela Prefeitura de Goiânia e o Estado para a compra de caminhões coletores de lixo.

No dia 27 de junho foi firmado um convênio no valor de R$ 5.668.450,00 (cinco milhões, seiscentos e sessenta e oito mil, quatrocentos e cinquenta reais) com a contrapartida do município de R$ 200 mil (duzentos mil reais) para a compra específica de 23 caminhões coletores de lixo, e não 50 caminhões, como foi colocado, maldosamente, no programa eleitoral do candidato Marconi Perillo.

Após assinatura do convênio, ficou definido que o valor para compra dos caminhões seria repassado em duas parcelas de R$ 2.834.225,00 (dois milhões, oitocentos e trinta e quatro mil, duzentos e vinte e cinco reais), sendo que a primeira parcela deveria ter sido depositada na conta da Prefeitura de Goiânia no Banco do Brasil de nº 18389-X no dia 30 de junho passado. E a outra parcela, 60 dias após. Todos os dados constam nos documentos assinados pelas partes.

No entanto, no dia 30 de junho o Estado não realizou o depósito como acertado em convênio. No dia quatro de julho, último prazo para as transferências de recursos em função do período eleitoral, o Estado depositou a quantia em conta errada de nº 18389-0, o que ocasionou o estorno do valor pelo Banco Central. O Estado, alegando a incapacidade de efetuar novo depósito, em função da proibição prevista na legislação eleitoral, deixou de fazê-lo.

Destacamos, para o conhecimento de todos, que a Prefeitura de Goiânia não recebeu do Estado qualquer recurso para a coleta de lixo na capital, e que os serviços estão sendo feitos exclusivamente com equipamentos da administração.

Repudiamos, veementemente, a afirmação distorcida do programa eleitoral do candidato Marconi Perillo, pois entendemos que teve o propósito tão somente de confundir a opinião pública e denegrir a imagem da administração. Ressaltamos ainda que toda documentação está à disposição dos órgãos da imprensa e de qualquer cidadão.

Carlos de Freitas – Procurador Geral do Município de Goiânia

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Mario Borges

A| prefeitura tinha que apresentar certidões negativas para receber o dinheiro do estado, não conseguiu……. o dinheiro esta no cofre esperando.

George Elias

A incompetencia e deles, e não da prefeitura…. quem errou o numero foram eles