Procurador da Lava Jato diz que irá recorrer da absolvição da mulher de Cunha

Segundo Carlos Fernando dos Santos Lima, a sentença decorreu do “coração generoso” do juiz Sergio Moro

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Operação Lava Jato disse nesta sexta-feira (26/5) que vai recorrer da decisão do juiz federal Sergio Moro que absolveu a mulher do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Cláudia Cruz.

Em coletiva de imprensa sobre a nova fase da Operação Lava Jato, Carlos Fernando afirmou que a sentença proferida na última quinta-feira (25) ocorreu por conta do “coração generoso” de Moro. As informações foram publicadas na “Folha de S. Paulo”.

Cláudia era investigada pelos crimes de lavagem de dinheiro e evasão fraudulenta de divisas.

No despacho, Moro disse que a mulher de Cunha foi absolvida “por falta de dolo, pois não há prova de que teve participação no crime antecedente, de corrupção, e não há prova suficiente de que tenha participado conscientemente nas condutas de ocultação e dissimulação”.

Nova Fase

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta sexta-feira (26), mais uma fase da Operação Lava Jato, que tem como principal objetivo apurar operações financeiras realizadas a partir da
aquisição pela Petrobras de direitos de exploração de petróleo em Benin, na
África.

Batizada de Poço Seco, a 41ª etapa cumpre oito mandados de busca e
apreensão, um de prisão preventiva, um de prisão temporária e três de condução coercitiva nos estados do Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo.

De acordo com nota da PF, entre os alvos está Fernanda Luz, ligada ao lobista que atuava na Petrobras Jorge Luz — preso em Curitiba (PR) com o filho Bruno.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.