Procon autua duas empresas que vendiam gás de cozinha a R$ 150 em Goiás

Equipes fiscalizaram 183 postos de combustíveis, 18 distribuidoras de gás e 12 supermercados para coibir a prática de preço abusivo

Nos últimos dez dias, devido a greve dos caminhoneiros, o Procon Goiás recebeu 18 denúncias sobre a prática de preço abusivo no gás de cozinha. Todas as empresas denunciadas foram fiscalizadas e duas foram autuadas por venderem o botijão a R$ 150. As demais já estavam fechadas devido a falta de estoque.

Durante o período, também foram fiscalizados 12 supermercados e mais de 220 itens foram conferidos. No entanto, a equipe de fiscalização não encontrou nenhum indício de prática abusiva.

Já entre os postos de combustíveis, foram 183 estabelecimentos fiscalizados e nenhum foi autuado. Os maiores preços encontrados pelo Procon foram de R$ 4,99 a gasolina comum, R$ 5,09 gasolina aditivada, R$ 2,99 o etanol comum e R$ 4,39 o diesel S-10.

Segundo a superintendente do Procon Goiás, Darlene Sampaio, o Procon chegou a receber denúncia de gasolina sendo vendida a R$ 5,22, no entanto o valor não foi considerado abusivo. “Nós constatamos que a gasolina em questão estava sendo vendida 100% pura, sem a mistura de etanol. Então, estava dentro da margem de lucro prevista”, explicou.

Deixe um comentário