“Problema de água em Anápolis está resolvido”, garante secretário Vilmar Rocha

Em reunião com o presidente da Saneago, Jalles Fontoura (PSDB), e o prefeito da cidade, Roberto Naves (PTB), titular da Secima explicou ações tomadas para sanar questão

O secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Secima), Vilmar Rocha (PSD), e o presidente da Saneago, Jalles Fontoura (PSDB), afirmaram que o problema de abastecimento de água em Anápolis está resolvido. Os dois estiveram na manhã de terça-feira (13/6) com o prefeito Roberto Naves (PTB) e despacharam com todos os superintendentes da Secima e os secretários municipais.

“Esta é minha primeira visita oficial a Anápolis desde a posse do Roberto Naves e estamos aqui para apresentar ao prefeito os projetos da Secima e também ouvir as demandas dele”, explicou Vilmar. “O governador Marconi Perillo sempre tratou Anápolis com muito carinho e de forma republicana. Estamos aqui hoje para seguir as orientações do governador de dialogar e procurar ajudar todos os prefeitos de Goiás”, acrescentou o titular da Secima.

O principal assunto da reunião foi a questão do abastecimento de água para Anápolis. Em 2015, a cidade passou por uma crise hídrica e foram necessárias diversas ações emergenciais para contornar o problema. “Fizemos uma forte fiscalização no Piancó e lacramos diversas bombas que estavam captando água de forma irregular”, lembrou o secretário. “Agora, a Saneago já começou a trabalhar para mudar a captação para o rio Capivari, o que irá resolver em definitivo essa questão”, afirmou o secretário.

“Iremos fazer uma primeira obra emergencial, com recursos e pessoal próprio, para resolver a questão deste ano. Em paralelo, já estamos também trabalhando na contratação de uma empresa para realizar uma obra maior e que, aí sim, resolverá de forma definitiva a questão da água em Anápolis”, explicou Jalles Fontoura. “A crise hídrica em Anápolis está resolvida. A cidade não vai mais sofrer com falta de água”, garantiu o presidente da Saneago.

Licença do Daia

Com a presença de representantes da Associação Comercial e Industrial de Anápolis (Acia), o secretário Vilmar Rocha também tratou da questão do licenciamento ambiental do Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia). Criado na década de 70, o distrito não conta com licenciamento ambiental, já que na época não havia essa exigência.

Agora, sem a licença, muitas indústrias enfrentam problemas para conseguir financiamentos e outros. “Esse é um problema que se arrasta há anos, mas que já está encaminhado e, muito em breve, será resolvido”, disse Vilmar.

Segundo o secretário, a Secima já conseguiu um parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE) que dispensa a necessidade de um Eia/Rima e exige apenas um Relatório Ambiental Simplificado (RAS). “Isso já está em andamento e agora basta a Codego solicitar a licença, o que deve ser feito em breve”, completou.

Vilmar Rocha também abordou a situação do novo plano de manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) do João Leite. A APA do João Leite envolve os municípios de Goiânia, Terezópolis de Goiás, Goianápolis, Nerópolis, Campo Limpo de Goiás, Ouro Verde e Anápolis.

Criada para proteger os recursos hídricos da bacia hidrográfica do Ribeirão João Leite, ela assegura condições para o uso do solo compatíveis com a preservação dos recursos hídricos e concilia as atividades econômicas e a preservação ambiental. Dessa forma, em algumas regiões do município ficam proibidos novos loteamentos e empreendimentos imobiliários.

“O que estamos fazendo agora é uma revisão do plano de manejo da APA do João Leite, algo que já estava previso em lei”, explicou Vilmar Rocha. “A Secima está contratando uma empresa que fará essa revisão e, com base em estudos técnicos, teremos condições de avaliar se será possível essa expansão urbana ou não”, explicou.

“Sabemos que há uma grande demanda da cidade por novos loteamentos e conjuntos habitacionais, mas não podemos liberar de forma irresponsável e comprometer a preservação do João Leite e do Cerrado nessa região”, concluiu ele.

Deixe um comentário