Principal suspeito de atirar em juiz é foragido da Justiça por roubo 

Rotam prendeu duas mulheres e apreendeu um menor suspeitos de integrarem quadrilha de roubo de carros responsável por tentativa de latrocínio em Goiânia

O principal suspeito de ter atirado do juiz Átila Naves do Amaral, durante tentativa de latrocínio em Goiânia foi identificado como Lucas Fernando dos Santos Cardoso Dias. Já procurado pela Justiça por roubo, tem também uma série de passagens pela polícia.

Segundo informações do Tenente Eduardo, da Rotam, é a voz de Lucas que aparece em áudio apreendido pelos policiais, contando que participou da troca de tiros na noite do último domingo (20). Outro assaltante, Johnattan Rodrigues Costa, foi alvejado durante troca de tiros e foi encontrado no Cais do Setor Amendoeiras, onde confessou participação no crime.

A partir do depoimento de Johnattan, a polícia chegou à Camila Alexandre Carvalho, de 19 anos, Maria Caroline Alcântara Carvalho, de 23 anos e ao irmão de Lucas, o menor L. M. C. V., de 16 anos, todos suspeitos de envolvimento no crime.

No celular de Camila, a polícia encontrou áudio de Lucas contando sobre a troca de tiros e o companheiro baleado.  As duas foram presas e o menor apreendido. Os três foram encaminhados para a Central de Flagrantes na manhã de segunda (20).

No momento da prisão, elas estavam de posse de 10 munições calibre 380, o mesmo que alvejou o juiz. Na casa dos alvos da ação policial, foram encontrados mais munições e três veículos roubados, além de aparelhos para bloquear rastreadores de carro.

Segundo o tenente, as duas mulheres presas atuavam como apoio nos roubos realizados pela quadrilha, servindo de escolta nas proximidades e também ajudavam a levar os carros roubados nas oficinas para desmonte e/ou troca de placa.

Além de Lucas, a polícia procura ainda um terceiro homem que participou diretamente da tentativa de latrocínio, identificado como Thiago Borges Soares. Até agora, as investigações apontam que Thiago, Johnattan e Lucas participaram da troca de tiros que alvejou o juiz Átila Naves Amaral, da 2ª Vara Cível de Goiânia.

O magistrado foi baleado de raspão na mão e na perna após reagir a um assalto quando saia de um prédio na noite do último domingo (20), em frente ao Parque Flamboyant, no Jardim Goiás. Ele está internado no Instituto Ortopédico de Goiânia e não corre risco de morrer.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.