Principal aliado de Caiado na Bahia, ACM dispara nas pesquisas após desistência de Jaques Vagner

O pior cenário para o secretário-geral do União Brasil e ex-prefeito de Salvador é quando o correligionário do governador goiano é colocado contra o petista “com o apoio de Lula”

A oficialização da desistência do ex-governador Jaques Wagner (PT) ao governo baiano na última segunda-feira, 28, favorece um dos principais aliados do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União Brasil), o ex-prefeito de Salvador e secretário-geral do partido, ACM Neto (União Brasil). O aliado estava empatado tecnicamente (dentro da margem de erro de 3% para mais ou para menos) em um dos cenários postos com o petista na última pesquisa, que foi realizada pelo Instituto Real Time Big Data e divulgada na última semana.  

Nos quatro cenários apontados pelo Instituto, o secretário-geral do União Brasil está à frente do segundo colocado, 45% a 30% contra o senador Jaques Wagner. Este é o pior cenário posto para ACM Neto, que está com 15% de dianteira, e pode ganhar no primeiro turno. Neste cenário, ainda foram colocados o ministro da Cidadania, João Roma (Republicanos), com 9%, Bernardete Souza (PSOL), com 5% e nulos, brancos (7%) e não sabem (4%) somando 11%. 

Sem Jaques Wagner, o cenário posto é ainda melhor para o aliado caiadista, que não terá o petista como adversário. O senador desistiu da sua pré-campanha por uma decisão própria do petista, que tem mandato no Senado até 2027. 

Sem o Senador, ACM oscila para 48% das intenções de voto em um cenário contra o também senador Otto Alencar (PSD), que tem 17%, e deve ser o candidato do grupo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). João Roma aparece com 10% e Bernardete com 7%, também oscilando dentro da margem de erro. Brancos e nulos (10%) e não sabem (8%) somam 18%. Ampliando as chances de o baiano vencer no primeiro turno.  

Com apoio de Lula 

O pior cenário posto para ACM é o de “Jaques Wagner com o apoio de Lula”. Neste cenário são citados ACM Neto como “independente” (sem apoio à presidência), com 40%, e o petista aparece com 34%, onde ambos estão empatados tecnicamente. João Roma, com apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL), aparece com 12% e Bernardete, com o apoio de Guilherme Bolos (PSOL) aparece com 2%. Neste cenário brancos e nulos (9%) e não sabem (3%) somam 12%, diminuindo às chances de vitória no primeiro turno.  

No mesmo cenário posto para Otto Alencar, o ex-prefeito de Salvador aparece com 44%. Otto, com o apoio de Lula aparece com 28%, João Roma e Bernardete com os seus apoios, respectivamente, com 12% e 4%. Branco e nulo (8%) e não sabem (4%) mantém as chances de vitória no primeiro turno.  

Apoio irrestrito 

O governador Ronaldo Caiado esteve no lançamento da campanha de ACM ao governo no início de dezembro. O correligionário foi à capital baiana para hipotecar apoio ao ex-prefeito soteropolitano, que segundo Caiado, tem sensibilidade para chegar às famílias mais vulneráveis e para desenvolver uma Bahia “mais desenvolvida”.  

Outra pauta que o governador acredita que terá em conjunto com ACM é a segurança pública. Naquela ocasião, o baiano fez questão de parafrasear Caiado. “A Bahia num estado onde o crime não compensa, e bandido não tem vez. Lugar de bandido será na cadeia ou fora da Bahia”, disse o secretário-geral do União Brasil no seu lançamento de campanha.  

A pesquisa eleitoral citada na matéria é do Instituto Real Time Big Data, pesquisa mais recente divulgada para o governo baiano. Foram entrevistados 1,2 mil eleitores do estado entre os dias 21e 22 de fevereiro. A margem de erro, como citada acima, é de 3% pontos para mais ou para menos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.