Inmet afirma que precipitação está dentro da média esperada para o mês de abril. Goianos vêm sofrendo com estragos causados pelas fortes chuvas

Foto: Reprodução

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Goiânia, informou o balanço das chuvas para o mês de abril. Segundo a chefe de previsão do tempo, Marna Mesquita, até o momento, foram registrados 75, 5 mm de precipitação na estação meteorológica de observação de superfície convencional, no centro da capital, e 121,6 mm na estação automática que fica no Setor Jaó.

Marna explica que a quantidade de chuvas é esperada para o mês de abril, cuja média é de 130,3 mm. Sobre a chuva da última segunda-feira, 8, ela conta que, com duração de 5 horas consecutivas, foram registrados 45,2 mm, no Centro, e 66 mm, na estação automática. A expectativa é que continue chovendo durante toda a semana, afirma a meteorologista.

Ocorrências

As chuvas dos últimos dias têm feito estragos na capital goiana. O temporal da última segunda-feira, 8, além dos danos materiais, causou pânico na população. No Bairro Cidade Livre, uma menina de 12 anos foi arrastada pela enxurrada enquanto voltava da escola com a mãe, ela precisou ser resgatada pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao pronto socorro.

Os bombeiros resgataram, também, três homens que estavam em um carro arrastado pela força das águas na Avenida Anhanguera, no Jardim Novo Mundo. No parque Amazônia, alguns carros ficaram ilhados e também precisaram ser socorridos.

Já em Aparecida de Goiânia, parte do telhado do Vapt Vupt do Buriti Shopping cedeu com a força da água. As atividades tiveram que ser suspensas, já que materiais elétricos foram danificados, segundo informou a Superintendência do órgão.

No centro de Goiânia, uma árvore caiu, na Rua 72, e a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) precisou ser acionada. Houve também, desabamentos de muros em casas do Setor Morais, na capital, e Residencial Cândido de Queiroz, em Aparecida.

De acordo com o Sistema de Meteorologia e Hidrologia do Estado de Goiás (Simehgo), a chuva que causou todos esses estragos resultou de uma combinação de umidade com calor, fato que propiciou a formação de um sistema conectivo, gerando muita chuva em pouco tempo.