Os detentos de Pinheiros começaram a recusar as refeições, após a Secretaria Estadual de Justiça e Administração Penitenciária determinar que os presos do CDP de Pedrinhas passassem a ser mantidos no interior das celas, com portas fechadas durante todo o dia

Os 120 presos da Delegacia Regional de Pinheiros (MA) estão em greve de fome desde a última segunda-feira (20). A manifestação é em solidariedade aos detentos do Centro de Detenção Provisória (CDP), do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Os detentos de Pinheiros começaram a recusar as refeições, após a Secretaria Estadual de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) determinar que os presos do CDP de Pedrinhas passassem a ser mantidos no interior das celas, com portas fechadas durante todo o dia.

Em entrevista ao Rádiojornalismo, o delegado regional da cidade de Pinheiros, Luís Cláudio Balby, comentou que os agentes penitenciários foram surpreendidos com a recusa do jantar na segunda-feira. Ele antecipou a possibilidade de as mais de 120 refeições servidas diariamente serem doadas durante a greve de fome.

“Embora não queiram, a alimentação está sendo colocada à disposição deles. Lamentavelmente, as fornecidas anteriormente se estragaram. Vamos disponibilizar as refeições para a população carente de Pinheiro. Não queremos que elas se estraguem”, comentou o delegado. Manifestando a expectativa de que o protesto termine logo, Balby acrescentou que a greve de fome não tem uma efetiva motivação.