Preso em operação contra Baleia Azul confessou ter feito pelo menos 30 vítimas

Suspeita da Polícia Civil (PC), no entanto, é de que ele tenha aliciado ainda mais gente para o conjunto de desafios que incita ao suicídio

O jovem preso pela Polícia Civil (PC) do Rio de Janeiro nesta terça-feira (18/7) na Operação Aquarius, que mirou em aliciadores do jogo Baleia Azul, confessou ter feito pelo menos 30 vítimas. Preso em Nova Iguaçu (RJ), o homem de 23 anos convenceu crianças e adolescentes a participarem dos desafios que incitam a automutilação e ao suicídio.

Segundo a PC, ele aliciava as vítimas pelas redes sociais e pode, na verdade, ter cooptado 40 pessoas para o jogo. No Baleia Azul, a pessoa deve cumprir desafios que incentivam que ela fique triste e deprimida e, quando tenta deixar de fazê-lo, recebe ameaças de morte inclusive de pessoas da sua família.

Nas investigações, a polícia monitorou redes sociais e WhatsApp e encaminhou ofícios a escolas e postos de saúde para que eles informassem casos de automutilação em menores de idade. Foram localizadas 15 vítimas que, além de feridas, também estavam em depressão. Suicídios, no entanto, não foram registrados. As vítimas foram encaminhadas para acompanhamento psicológico.

Além da prisão do homem, os oficiais também cumpriram 24 mandados de busca e apreensão em nove estados: Amazonas, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Sergipe. Agora, a Polícia segue investigando mais 10 pessoas e curadores.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.