Preso acusado por lavagem de dinheiro, fundador da Ricardo Eletro presta depoimento ao MP

Investigadores apontam crimes fiscais cometidos por Ricardo Nunes, que ao todo teria desviado cerca de R$ 400 milhões dos cofres públicos

Preso provisoriamente desde a quarta-feira, o fundador Ricardo Eletro, Ricardo Nunes, depões na tarde desta quinta-feira, 9, ao Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG). O empresário é acusado de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

Nunes, que está preso em caráter temporário desde a manhã de ontem, em Belo Horizonte, é investigado como o principal beneficiário de um esquema criminoso que, segundo promotores e delegados, desviou cerca de R$ 400 milhões do cofres públicos.

Segundo os promotores e o delegado que cuidam do caso, por cerca de pelo menos dez anos, a Ricardo Eletro fraudou os cofres mineiros, deixando de repassar ao governo estadual o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que cobrava de seus clientes.

O esquema

Segundo informações do MPMG, as lojas da rede Ricardo Eletro cobrava dos consumidores, embutido no preço dos produtos, o valor correspondente aos impostos como ICMS, mas não fazia o repasse ao governo estadual.

Esse recurso seria utilizado para a compra de bens em nome de parentes já que a empresa de Ricardo se encontra em situação de recuperação extrajudicial.

Além dos mandados de prisão, a Justiça determinou o sequestro de bens imóveis de Ricardo, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, para ressarcir danos causados ao estado de Minas Gerais. (Com informações da Agência Brasil Correio Braziliense e Globonews)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.