Presídios goianos sofrem com déficit de nove mil vagas, diz Ministério da Segurança

Informações foram repassadas ao governador eleito Ronaldo Caiado (DEM) durante reunião com ministro Raul Jungmann

Ronaldo Caiado (DEM) se reuniu nesta terça-feira (6/11) com representantes do Ministério da Segurança Pública (Foto: divulgação)

O governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), se reuniu nesta terça-feira (6/11) com representantes do Ministério da Segurança Pública em reunião com a presença do ministro Raul Jungmann. No encontro, Caiado teve acesso a uma série de dados sobre a situação da segurança pública em Goiás, incluindo sistema carcerário, efetivo policial, dados de inteligência e quadro das facções criminosas.

A equipe técnica fez uma exposição que mostrou, por exemplo, uma defasagem de 9.767 vagas em presídios goianos. Segundo os dados apresentados na reunião, são 3.635 policiais civis, 11.667 policiais militares e 2.790 bombeiros para atender a uma população de quase sete milhões de pessoas em 246 municípios.

No caso das facções, as informações atestam a presença de organizações como o PCC (Primeiro Comando da Capital) e Comando Vermelho em Goiás.  Segundo o ministério da Segurança Pública, PCC conta com 1000 integrantes em cidades do interior. Já o CV tem 500, mas está mais estrutura financeiramente.

“Durante o dia de hoje tivemos a oportunidade de avançar na discussão de temas que são extremamente importantes. Primeiro lugar, em relação ao sistema prisional do Estado de Goiás, ouvindo especialistas na área e também o próprio ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que convocou toda sua assessoria, desde a área da inteligência até a área da segurança, a da avaliação das facções, assim como a da situação dos presídios de Goiás”, relatou Caiado.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.