Presidente do Sintego diz a Marconi que Hospital do Servidor é uma das obras mais importantes de Goiás

Presidente do Ipasgo, Romeu Sussumo, disse que a previsão é que até o final do ano a unidade esteja em pleno funcionamento

Bia de Lima fala sobre o Hospital do Servidor Público | Foto: Mantovani Fernandes

Durante a solenidade de inauguração dos Hospital do Servidor, feita pelo governador Marconi Perillo nesta terça-feira (27/3), a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Goiás (Sintego), Bia de Lima, falando em nome dos servidores e do Fórum de Defesa dos Servidores Públicos, que reúne 49 entidades, afirmou: “Digo ao senhor, governador, que essa é uma das mais importantes obras do Estado de Goiás. Uma obra que vinha sendo sonhada pelos servidores públicos há 30 anos, desde o fatídico acidente envolvendo o Césio-137”.

A sindicalista afirmou que a obra é um sonho dos servidores e fruto do diálogo do governador com a categoria, fundamental para o saneamento do Ipasgo, que “hoje é um dos melhores planos de Saúde de Goiás”.

Bia explicou que a luta dos servidores agora é para viabilizar o Imas, que é o Instituto Municipal de Saúde dos servidores de Goiânia. Ela reiterou apelo, em nome do fórum dos servidores, que a unidade, a exemplo do plano de saúde, seja administrada pelos servidores.

Referência

O presidente do Ipasgo, Romeu Sussumo, disse que a previsão é que até o final do ano o Hospital do Servidor esteja em pleno funcionamento, com modernos equipamentos e em condições de realizar exames de alta complexidade. “Nosso foco é a qualidade”, afirmou, ressaltando que o HSP resume a ação de Marconi: “O governador que mais investiu em saúde em Goiás”.

“Se nós tivéssemos em Goiás rede pública municipal de Saúde como é a estadual, nós não precisaríamos de plano de Saúde”, disse ao discursar na solenidade de inauguração, o secretário de Planejamento, Joaquim Mesquita, para quem o hospital representa o esforço do governador para qualificar uma das áreas mais estratégicas do Estado, que é a Saúde.

O ex-presidente do Ipasgo, Francisco Taveira Neto, que falou em nome dos ex-presidentes da instituição, destacou a lealdade nos debates entre governo e servidores, fundamental para consolidação do hospital. Taveira Neto afirmou que um dos traços da personalidade de Marconi é a gratidão. E o hospital, que homenageia um dos conselheiros de Marconi, Fernando Cunha Júnior, revela a forma de Marconi governar. “O Ipasgo está tocando o sarrafo da qualidade para cima”, afirmou Taveira, lembrando que, em 2011, o Ipasgo discutia a sua sobrevivência e hoje é o “porto seguro do servidor”, como será o hospital.

Estrutura – O Hospital do Servidor Público Fernando Cunha Júnior conta com oito blocos, 211 leitos e 24 mil metros de área construída. A construção do hospital coroa de êxito o saneamento financeiro pelo qual passou o Ipasgo, a partir de 2011, quando saiu de um quadro pré-falimentar, com dívidas de mais de R$ 400 milhões, para uma instituição superavitária, a partir de um plano de ajustamento financeiro comandado pessoalmente pelo governador.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.