Presidente do Sindiposto diz que é “mito” que Goiânia tem combustível mais caro do país

No Opção Play, Márcio Andrade fala sobre expectativa para abaixar o preço da gasolina e critica margem de lucro sobre venda do etanol

O empresário Márcio Martins de Castro Andrade, que tomou posse ainda este mês como presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado de Goiás (Sindiposto), disse que existe um “mito” de que o combustível de Goiânia é um dos mais caros do país.

Em entrevista ao Opção Play, Márcio disse que, por um tempo determinado, Goiânia chegou a ficar no topo da lista entre as capitais, mas hoje está “apenas” entre os cinco municípios com valores mais elevados. Por isso, segundo ele, a prioridade principal da nova gestão é a transparência. “Queremos levar o consumidor, a imprensa e os órgãos que nos fiscalizam à realidade do mercado de combustíveis para desmistificar todo conceito que foi formado sobre os vendedores e postos de gasolina”, declarou.

Em 2017, liminares da Justiça limitaram em 10,2% a margem de lucro para venda do etanol, o que foi extremamente criticado pelo representante do Sindiposto. “A medida é totalmente contra a tendência de mercado livre. A interferência para controlar o preço faz que alguém pague o preço em algum momento”, disse.

Segundo Márcio, os donos de postos são os que estão tomando prejuízo no momento. “O empresário quer que o preço seja mais baixo para que o consumidor compre mais”, garantiu. O presidente falou ainda sobre a expectativa para quando o preço do combustível pode baixar em todo o país.

A entrevista na íntegra você confere abaixo. Para ter mais acesso ao conteúdo do Opção Play é só seguir nosso canal no Youtube ou acompanhar nosso portal de notícias.

Deixe um comentário