Prefeito de Trindade defendeu o legado do partido em Goiás e diz que a dívida com a União foi reduzida em R$ 10 bilhões

Prefeito de Trindade Jânio Darrot (PSDB) / Foto: Divulgação

O presidente do PSDB em Goiás e prefeito de Trindade, Jânio Darrot, respondeu através de nota a Secretária de Estado da Economia, Cristiane Schmidt, e defendeu o legado do partido no Estado. A secretária indagou, após repercussão do discurso do ex-governador Marconi Perillo (PSDB), na semana passada sobre recursos destinados ao pagamento da folha salarial de 2018.

Segundo Darrot, no biênio 1999-2000, Marconi colocou em dia dois meses e meio de folha do funcionalismo em atraso, passou a pagar adiantados os salários dos servidores, com os depósitos feitos dentro do mês trabalhado e a creditar o 13.º no mês do aniversário.

O presidente do PSDB ainda diz que a dívida de Goiás com a União foi reduzida em R$ 10 bilhões, em amortização e juros, somente no biênio 1999-2000. Marconi colocou as contas do Estado em dia mesmo sem a realização de nenhuma operação de crédito, já que novos empréstimos estavam proibidos em razão da adequação à nova LRF.

“Em quatro mandatos como governador, ele abateu R$ 40 bilhões da dívida externa”, diz a nota.

Além disso, Jânio Darrot elenca pagamentos do funcionalismo, obras e programas sociais deixados pelas gestões do PSDB em Goiás, como a Bolsa Universitária, Renda Cidadã e o Salário Escola, o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (o Fica), 88 estações de tratamento de esgoto. “Na infraestrutura, Marconi construiu 5 mil quilômetros de rodovias; outros 350 quilômetros de rodovias estaduais foram duplicados; outros 6 mil quilômetros de rodovias foram reconstruídos”, diz a nota.

Cristiane Schmidt, em entrevista concedida ao jornalista Rubens Salomão, da Rádio Sagres, disse que tem aumento da dívida mensal em R$ 100 milhões porque Marconi rompeu o teto em 2018. “Goiás está sofrendo. É muito fácil tomar empréstimos ruins sem transparência”, apontou.

Confira a nota completa

São incomparáveis os dois primeiros anos do atual governo, que não apresentou nada de novo e inovador para a população, com os dois primeiros anos das gestões de Marconi Perillo em Goiás.

No biênio 1999-2000, Marconi colocou em dia dois meses e meio de folha do funcionalismo em atraso, passou a pagar adiantados os salários dos servidores, com os depósitos feitos dentro do mês trabalhado e a creditar o 13.º no mês do aniversário.

Na área fiscal, o primeiro biênio foi de expressiva redução da relação entre dívida consolidada e receita corrente líquida. Marconi foi o primeiro governador do país a adequar o Estado às novas regras de gestão das contas públicas estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

Quando encerrou seu quarto governo, em 2018, Marconi havia reduzido a relação entre dívida e receita de 3,6 orçamentos para 0,9 – ou seja, quando assumiu, eram necessários quase quatro orçamentos anuais para pagar a dívida e, ao entregar a gestão, era necessário menos de um orçamento.

A dívida de Goiás com a União foi reduzida em R$ 10 bilhões, em amortização e juros, somente no biênio 1999-2000. Marconi colocou as contas do Estado em dia mesmo sem a realização de nenhuma operação de crédito, já que novos empréstimos estavam proibidos em razão da adequação à nova LRF. Em quatro mandatos como governador, ele abateu R$ 40 bilhões da dívida externa.

Nesses dois primeiros anos do atual governo, Goiás deixou de pagar R$ 4,6 bilhões da dívida do Estado com a União.

Nos governos de Marconi, portanto, boa parte da receita do Estado foi para pagar folha adiantada, o 13.º na data do aniversário, sem a possibilidade, por exemplo, de empréstimos como de R$ 1,8 bilhão obtido pelo atual governo junto ao Poder Judiciário, relativos ao depósitos judiciais privados liberados em 2019. Marconi, tampouco, governou à custa de R$ 4,6 bilhões não pagos da dívida.

Todo esse trabalho de reestruturação fiscal nos dois primeiros anos de Marconi foi feito com muita economia, honestidade e muito trabalho.

Mesmo sem recursos extras, tendo de pagar folhas e 13.º atrasados e manter a folha do funcionalismo de suas gestões em dia, os dois primeiros anos de Marconi à frente do Governo de Goiás foram profundamente inovadores:

• No primeiro ano de governo, foi criada a Bolsa Universitária, com mais de 15 mil estudantes contemplados nos dois primeiros anos de governo. Até o final de 2018, 210 mil goianos já haviam ingressado em um curso superior graças ao programa;

• Foram criados a Renda Cidadã e o Salário Escola, com 150 mil famílias beneficiadas em cada um dos dois programas;
• Na área cultural, foi criado o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, o Fica;
• Criamos o Banco do Povo, que gerou milhares de empregos;
• Nossos governos adotaram uma política agressiva e ousada de industrialização do Estado, gerando milhares de empregos em todas as regiões;
• Os prefeitos tiveram o importa reforço do Programa Asfalto Novo, voltado para a pavimentação de vias urbanas.
• Na saúde, Marconi deu início a obras importantíssimas, como o Hospital de Urgências de Anápolis e o Hospital Geral de Goiânia Alberto Rassi, este referência em transplantes;
• Na infraestrutura, Marconi deu continuidade às obras rodoviárias que tinham sido abandonadas depois que o dinheiro da privatização da Usina de Cachoeira Dourada acabara.

Em quatro gestões, as obras realizadas por Marconi e pelo PSDB se espalharam por todo o Estado, em todas as áreas da administração. Algumas, no entanto, se destacam por sua importância para as próximas gerações, por muitas décadas
• Foram construídas 88 estações de tratamento de esgoto, inclusive em Goiânia;
• As duas regiões mais populosas de Goiás tiveram o problema da escassez de água potável resolvido com a construção de duas barragens: em Goiânia, foi construída a Barragem do Ribeirão João Leite, junto da qual foi implantado o Complexo Produtor de Água Mauro Borges. Na região do Entorno de Brasília, fizemos o Complexo Corumbá IV, que atende quase 2 milhões de pessoas;
• Na infraestrutura, Marconi construiu 5 mil quilômetros de rodovias; outros 350 quilômetros de rodovias estaduais foram duplicados; outros 6 mil quilômetros de rodovias foram reconstruídos.
• Na educação, os governos de Marconi pagaram os pisos e datas-bases dos professores e os investimentos na educação levaram a educação de Goiás ao primeiro lugar no Ideb em 2014;
• Na segurança pública, criamos e cumprimos os planos de carreira das polícias, valorizamos o trabalho das corporações e investimentos maciçamente em modernização e atualização da frota, do armamento e das instalações e em inteligência. Este governo, por sua vez, só efetuou as promoções estabelecidas nos planos de carreira que os governos de Marconi e do PSDB criaram porque foi obrigado pela Justiça, em decisão obtida pelas corporações.
• Na área de atendimento ao cidadão contribuinte, criamos o Vapt Vupt, implantando 90 unidades do serviço em todo o Estado, ofertando um serviço de excelência que simplificou a emissão de documentos, o pagamento de tributos, entre outros serviços.

Portanto, os recursos do governo de Goiás, nos primeiros e em todos os anos dos governos de Marconi, foram aplicados na valorização dos servidores, que prestam serviços à população, e em obras de infraestrutura social e econômica que levaram Goiás ao primeiro time de Estados do Brasil.

O legado dos governos de Marconi e do PSDB está em toda parte e seguirá mudando a vida dos goianos por muitas décadas. Segue, abaixo, a relação das obras e programas realizados em Goiás e em Goiânia pelos governos de Marconi e do PSDB:

• Duplicação 070 Goiânia – Cidade de Goiás – 135 km (iluminação entre Goiânia e Inhumas);
• Iluminação entre Goiânia e Nerópolis (GO 080);
• Duplicação da GO 080 entre Goiânia / Nerópolis – BR 153 km – 90 km.
 •Duplicação da Rodovia G0 403 com iluminação e ciclovia (Goiânia – Senador Canedo – 13 km);
• Duplicação da Rodovia GO 020 com iluminação e ciclovia (Goiânia /Senador Canedo / Bela Vista – 48 km).

• Duplicação da Rodovia GO 040 entre Garavelo e Madre Germana (Aparecida de Goiânia);

• Construção da Nova Rodovia dos Romeiros e ciclovia (Goiânia – Trindade) – 17 km;

• Construção do HUGOL (HUGO 2); 8. • – Reforma Geral e reestruturação e duplicação do número de leitos e UTI do HUGO;
 • Construção do CRER;

• Construção do Hospital do Servidor – Dep. Fernando Cunha Junior;
• Reforma Geral, reestruturação e duplicação do número de leitos e UTI do HDT (Hospital de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad);
• Reabertura, Reforma Geral, Reestruturação e Duplicação de Leitos e UTI do HGG (Hospital Geral de Goiânia Dr. Alberto Rassi);
• Construção do HUANA (HUGO 3);
• Construção do HUAPA (HUGO 4);
• Construção do HUTRIN (HUGO 5)- Trindade;

• Inauguração e Operação do HURSO (HUGO 6) – Santa Helena;
• Construção do Hospital e Maternidade de Uruaçu (HUGO 7) – (falta entrar em operação).
• Construção do Hospital de Urgências de Aguas Lindas (HUGO 8) (1a etapa concluída);
• Construção do Hospital de Urgência de Santo Antônio do Descoberto (HUGO 9) (Não está concluído);
•Ampliação / Reforma Geral / Construção do Centro Cirúrgico e duplicação do Hospital Regional de Pirenópolis (HUGO 10);
• Estadualização e reforma do Hospital Regional de Jaraguá́ (HUGO 11);
• Construção do HDS;
• Construção de 03 CREDEQ’S:
Aparecida de Goiânia em operação;
 Goianésia e Quirinópolis – Construídos e equipados;
Em construção com 90% da parte física pronta (Morrinhos e Caldas Novas);
• Construção de 6 AME ́S (Policlínicas – 2 prontas e 4 em conclusão);
• Construção do Estádio Olímpico / Centro de Excelência do Esporte;

 Construção do novo Autódromo;

27. • Construção do CCON (Centro Cultural Oscar Niemeyer);

28. • Construção do novo Centro Administrativo (Palácio Pedro Ludovico Teixeira);

• Construção do Centro de Inteligência, Comando e Controle da SSP;

• Construção de novos presídios: – Funcionando: Formosa e Anápolis:
Em construção: Planaltina, Águas Lindas, Novo Gama e Casa de Prisão Provisória de Rio Verde;
Ampliação: 02 unidades em Anápolis, sendo uma delas presidio feminino e mais outras 35 unidades ampliadas no Estado;
• Construção de Centro de Atendimento Socioeducativo:
– Funcionando: 02 unidades em Goiânia: Conjunto Vera Cruz e Chácara do Governador; Anápolis, Formosa, Porangatu (pequena), Itumbiara (pequena) e Luziânia;
– Em construção (Regionais): Rio Verde, Itaberaí́, Itumbiara (grande), Porangatu (grande) e Jataí (Parceria com a Prefeitura).
• Construção do Sistema Produtor de Água Mauro Borges (Barragem do João Leite, Estação de Tratamento de Água Bruta; elevatórias, interceptores e redes);
• Construção e Funcionalidade dos Sistemas de Água Piancó́ e Capivari em Anápolis;
• Construção de 88 novas ETE’S / Construção da ETE Goiânia (Estação de Tratamento de Esgoto Dr. Hélio de Brito);
• Construção e funcionamento de 90 unidades do Vapt-Vupts no Estado;
• Construção e funcionamento de mais de 100 escolas Padrão Século XXI;
• Construção de 46 ITEGOS (Institutos Tecnológicos);
• Construção de mais de 5 mil Km de rodovias pavimentadas;
• Reconstrução de 6 mil Km de rodovias;
• Construção de mais de 30 Aeródromos pavimentados (mostrar Caldas Novas);
• Construção do Centro de Convenções de Anápolis;
• Construção do Aeroporto de Carga de Anápolis;
• Construção de vários Centros de Cultura (Palmeiras de Goiás, Porangatu, Ceres, etc.);
• Criação da UEG e Construção das 40 sedes (Mostrar Anápolis);
• 200 mil Bolsas Universitárias;
• 100 mil Famílias beneficiadas com o Salário Escola;
• Construção de 150 creches;
• 150 mil Famílias beneficiada com a Renda Cidadã̃;
• Transporte Cidadão no Eixo-Anhanguera e tarifa única no transporte coletivo da Região Metropolitana; mais de 300 mil trabalhadores beneficiados por dia.
• Viadutos (1). Madre Germana / GO 040 / 2. GO 060 saída para Trindade / 3. GO 070 saída para Inhumas e 4. GO 080 saída para Nerópolis);
• UHE e Sistema Produtor Corumbá́ IV;
• Universalização de Energia Rural em todo Estado;
• Construção de dezenas de Subestações de Energia;
• – Construção de 300 mil casas com recursos próprios e parcerias com a CEF, Prefeitura e entidades, via cheque moradia, construção e reforma (em Goiânia destaque para o Residencial Nelson Mandela; Residencial João Paulo II, Jardim Cerrado III, dentre outros);
• Entrega de escrituras e aquisições de imóveis da CEF para 40 mil famílias;
• Criação e funcionamento de 11 Restaurantes Cidadão;
• Duplicação da Rodovia BR 060 – Anápolis – Brasília – 150 km;
• Duplicação da Rodovia BR 153 – Goiânia – Itumbiara – 200 km;
• Duplicação da Rodovia BR 060 – Goiânia – Jataí – 300 km;
• Novo Aeroporto de Goiânia;
• Criação da Universidade Federal de Catalão;
• Criação da Universidade Federal de Jataí.
• Ampliação de 6 para mais de 80 universidades e faculdades em Goiás;
• 1o lugar no IDEB;
• Aumento de 17 bilhões de reais para R$ 220 bilhões de reais – PIB de Goiás;
• 1 milhão de empregos novos;
• Multiplicação em 25 vezes o volume das exportações Goianas (de US$ 300 mil para US$ 8 bilhões);
• Multiplicação do Parque Industrial de Goiás;
• Multiplicação da Produção /Agronegócio;
• Cidade de Goiás – Patrimônio Histórico Mundial;
• Redução do endividamento externo do Estado de 3.5 anos de receita total para pagamento da dívida para 0,9 ano;
• Pagamento rigorosamente em dia dos serviços da dívida externa e do funcionalismo público, sendo que de dívida externa foram pagos 40 bilhões de reais em 4 mandatos.

Goiânia, 6 de dezembro de 2020
PSDB de Goiás