Presidente do Inep é exonerado após assinar portaria que adiava avaliação da alfabetização

Marcus Vinícius Rodrigues estava no cargo desde janeiro e sua demissão integra série de polêmicas envolvendo o alto escalão do MEC

Foto: Divulgação

Marcus Vinícius Rodrigues foi exonerado do cargo de presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), na última terça-feira, 26, posto que ocupava desde janeiro deste ano. Após sua saída, ele declarou que não existe comunicação dentro do Ministério da Educação (MEC).

O ex-presidente havia assinado, na última segunda-feira, 25, uma portaria sobre as novas regras do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), segundo o qual, a avaliação da alfabetização de crianças não seria feita no ano de 2019. Momentos após a publicação no Diário Oficial da União, o Inep afirmou que a aplicação do teste só aconteceria em 2021.

Rodrigues afirma que assinou o documento sob respaldo do secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, que de fato fez a recomendação sobre a não avaliação da alfabetização neste ano, segundo ele. Após a polêmica, a portaria foi anulada pelo ministro da Educação Ricardo Vélez Rodríguez, e um novo documento com as regras do Saeb ainda não foi divulgado.

Para Marcus Vinícius, não existe diálogo entre os membros da pasta. “Foi um processo muito ruim, que mostrou a incompetência gerencial muito grande”, afirmou. Ele reitera que durante os três meses de governo, nenhuma reunião de trabalho com o ministro da Educação foi realizada.

A demissão de Rodrigues soma-se a uma série de polêmicas envolvendo mudanças no alto escalão do MEC. Além dele, saiu da pasta a engenheira e professora Tania Leme de Almeida, então secretária de Educação Básica do Ministério da Educação. Tania declarou que esse é o “preço que se paga” ao lutar por uma educação de qualidade, referindo-se à portaria que adiava a avaliação de alfabetização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.