Presidente Dilma solta “pacote” de ministros às vésperas do Natal

Kátia Abreu é confirmada na Agricultura e Kassab assumirá o disputado Ministério das Cidades

A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou na noite desta terça-feira, 23, uma lista dos novos ministros que vão compor o alto escalão do governo em seu segundo mandato, que começa no dia 1º de janeiro. O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), será o novo ministro da Defesa e o governador do Ceará, Cid Gomes (Pros), vai comandar a pasta da Educação. Dado como um nome certo para ganhar cargo no novo governo, o ex-prefeito Gilberto Kassab, presidente nacional do (PSD, vai para o disputado Ministério das Cidades.

A petista divulgou ainda a lista com nomes da chamada “cota do PMDB” no ministério. Já era mais do que esperado e foi confirmada a senadora Kátia Abreu (TO) no Ministério da Agricultura. O Ministério de Minas e Energia, no centro da Operação Lava Jato, também sofreu mudanças, mas continuará sob o comando da sigla. O senador Eduardo Braga, derrotado nestas eleições ao governo do Amazonas, entra no lugar de Edison Lobão (MA), citado no esquema de corrupção. Conforme noticiado pelo portal da Veja, horas antes do anúncio da nova equipe, Lobão confirmou que deixaria a pasta, mas ponderou que “não deve nada”. E classificou o petrolão como uma “crise circunstancial”.

O deputado federal Eliseu Padilha (PMDB-RS) assumirá a Secretaria de Aviação Civil no lugar de Moreira Franco. Filho do senador Jader Barbalho, Helder Barbalho (PMDB) ganhará o Ministério da Pesca após ter sido derrotado na eleição ao governo do Pará, o tucano Simão Jatene foi reeleito. Vinícius Lage, afilhado do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), continua no Turismo.

Inicialmente, havia a expectativa de Lage deixar o cargo e ceder espaço ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves (PMDB-RN), citado no escândalo do petrolão. Alves, no entanto, afirmou na véspera do anúncio que queria aguardar um posicionamento do Ministério Público sobre as denúncias em torno do seu nome.

O arranjo dos aliados peemedebistas se dá um mês após Dilma anunciar a equipe econômica de seu novo governo. Com a demora na definição do loteamento do ministério, deputados e senadores da base chegaram a pressionar o governo e esvaziaram a sessão que votaria a flexibilização do superávit fiscal deste ano. No entanto, após se reunirem com Dilma, o texto foi aprovado. O PMDB, principal aliado do Planalto, porém, aumentou a fatura: pediu seis ministérios, um a mais do que a cota atual.

A presidente também acomodou na Esplanada aliados de outros partidos. Aldo Rebelo (PCdoB), hoje no Esporte, ficará com a pasta de Ciência e Tecnologia. Ele será substituído por George Hilton (PRB). Assim como Cid Gomes, que se aproximou de Dilma ao se posicionar contra o rompimento do PSB com o governo federal, Gilberto Kassab, do PSD, ficará com o Ministério das Cidades.

Aguardada por petistas, a transferência do atual ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, para o Ministério das Comunicações não foi confirmada no anúncio desta terça-feira. Sua eventual nomeação é um afago à legenda: a pasta passará a ter, no ano que vem, parte da verba de publicidade da Secretaria de Comunicação da Presidência.

Em nota, a presidente agradeceu a dedicação dos ministros que deixam o cargo e informou que a posse da nova composição ministerial será em 1º de janeiro. A última etapa da reforma do novo governo está prevista para a próxima segunda-feira.

Veja a lista completa dos nomeados pela lista:

  • Aldo Rebelo (Ciência Tecnologia e Inovação)
  • Cid Gomes (Educação)
  • Edinho Araújo (Secretaria de Portos)
  • Eduardo Braga (Minas e Energia)
  • Eliseu Padilha (Secretaria de Aviação Civil)
  • George Hilton (Esporte)
  • Gilberto Kassab (Cidades)
  • Helder Barbalho (Secretaria de Aquicultura e Pesca)
  • Jaques Wagner (Defesa)
  • Kátia Abreu (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento)
  • Nilma Lino Gomes (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)
  • Valdir Simão (Controladoria-Geral da União)
  • Vinicius Lajes (Turismo)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.