Presidente de sindicato registra queixa contra deputado Mauro Rubem por suposta agressão

Parlamentar teria se irritado com críticas feitas ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT)

Foto: Renan Accioly/Jornal Opção

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Goiânia (SindMetal), Roberto Ferreira, registrou queixa no 1º Distrito Policial de Goiânia contra o deputado estadual Mauro Rubem (PT) por suposta agressão. O episódio ocorreu na manhã da última terça-feira (18/11) durante reunião dos sindicatos filiados ao DIEESE/Goiás.

Conforme assessoria de imprensa do sindicato, o parlamentar teria se irritado com as críticas feitas ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT) e partido para a agressão com  direito a “palavras de baixo calão, ofensas morais e empurrões”.  Na versão do presidente do sindicato, Mauro Rubem só não o agrediu fisicamente por conta da intervenção de pessoas que participavam do evento.

O Jornal Opção Online entrou em contato com a assessoria do deputado Mauro Rubem, que desmentiu os fatos narrados por Roberto Ferreira. “O que aconteceu é que o presidente desferiu várias criticas à presidente Dilma, e o deputado, exercendo seu direito de resposta, pegou o microfone e rebateu ponto por ponto sem mencionar o nome de ninguém”, narra o assessor de comunicação do parlamentar.

Logo depois, o presidente do sindicato teria tentado impedir a fala de Mauro Rubem, pegando a contragosto do petista o microfone de suas mãos; o que teria causado o desentendimento.

Em entrevista, Roberto Ferreira classificou o deputado como “desiquilibrado”  e disse que ele deveria procurar tratamento. Confira vídeo em que o dirigente dá a sua versão sobre o caso:

2 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Emanoel

Cuidado jornalistas, apurem os fatos na íntegra antes de repercutirem tais acontecimentos. A matéria está deturpada e visivelmente favorecendo uma das partes. O que está acima descrito não foi o que realmente aconteceu.

Jadielly Silva

Além de poder perguntar ao próprio deputado, haviam outras pessoas e dirigentes sindicais que presenciaram o ocorrido, parece um pouco de preguiça em apurar os fatos e uma vontade de ser sensacionalista incrível. Cuidado! Dessa maneira a credibilidade cai!

Jussara de Goiás

Perfeito