Presidente de sindicato da UFG critica ataques à pesquisas: “Tentativa de obter saldos políticos”

Flávio Alves da Silva afirma que entidades partiram para apelação e que pandemia foi politizada, mas que ciência demonstra seu valor

Flávio Alves da Silva é presidente do Adufg Sindicato | Foto: Portal do Adufg Sindicato

Para o presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg), professor Flávio Alves da Silva, há tentativa de uso político nas críticas às pesquisas conduzidas por cientistas da instituição usadas como base do decreto de isolamento.

“A pandemia foi politizada. Quando o governador faz algo que as instituições não concordam elas politizam, com único intuito de obter saldos políticos”, afirma o presidente.

Segundo o representante, a universidade sempre produziu resultados e seguirá no mesmo caminho. “A população inclusive percebeu mais do que nunca a importância da ciência neste momento”, defende Flávio, citando os projetos desenvolvidos em várias frentes de pesquisa.

Sobre a posição da Adufg em relação aos ataques diretos contra o professor Dr. Thiago F. Rangel, líder de trabalho que estimou 18 mil mortes caso não fosse adotado modelo de isolamento mais rígido, Flávio diz que o primeiro passo foi o repúdio em nota pública, mas que há ainda assistência jurídica à disposição para que sejam conduzidos possíveis processos contra caluniadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.