Presidente de CPI da Covid diz que enviará pedido para que Ministério Público apure se Wajngarten mentiu

Durante testemunho, a prisão do ex-secretário de Comunicação da Presidência foi pedida por Renan Calheiros (MDB-AL)

Fábio Wajngarten em CPI da Covid | Foto: Divulgação

O presidente da CPI da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), informou que enviará um pedido ao Ministério Público Federal (MPF) para que seja apurado se o ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, mentiu durante oitiva nesta quarta-feira, 12. Durante depoimento, o relator da comissão, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) chegou a pedir a prisão do ex-chefe da Secom, mas o pedido foi negado por Aziz.

O presidente da CPI quer que o MPF apure se Wajngarten cometeu crime de falso testemunho. “É importante que o Ministério Público averigue se o depoimento infringiu o Código Penal, oferecendo a esta Comissão Parlamentar de Inquérito falso testemunho ou falsa perícia”, pontuou o parlamentar em despacho. Ainda, Aziz incluiu em outro trecho do documento que o testemunho será encaminhado ao MPF para as devidas providências “no sentido de promover a apuração e, eventualmente, a responsabilização, inclusive com a aplicação de penas restritivas de direito”.

O falso testemunho é crime previsto no artigo 342 do Código Penal, punido com reclusão de dois a quatro anos e multa. O presidente ainda acrescentou, antes de encerrar a sessão que uma eventual prisão do ex-secretário “seria o menor castigo que sofrerá na vida”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.