Presidente de comissão da OAB-GO renuncia ao cargo: “Não compactuo com retaliações”

Em apoio a colegas destituídos pelo presidente Lúcio Flávio, a advogada Carla Zannini informou neste final de semana que deixará colegiado 

Advogada e conselheira da seccional goiana Carla Zannini e o presidente Lúcio Flávio | Reprodução/Arquivo

A advogada Carla Zannini renunciou ao cargo de presidente da Comissão de Combate à Exploração nas Relações de Trabalho da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), criada por ela no ano passado.

A decisão vem em solidariedade a integrantes da Comissão de Orçamento e Contas (COC) da seccional — incluindo o presidente Leandro Bastos — que foram destituídos de suas funções na última semana pelo presidente Lúcio Flávio de Paiva.

Em entrevista ao Jornal Opção neste domingo (30/4), Zannini endossou o discurso dos colegas afastados, alegando que a decisão da diretoria em destituí-los tratou-se de retaliação devido ao voto contrário quanto à transferência de gestão do Centro de Esporte e Lazer (CEL) da seccional para a Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag).

“Eu também votei contra e não compactuo com a retaliação a opiniões divergentes. O contraditório não pode se tornar alvo de perseguição na Ordem”, explica a advogada, que também ocupa cargo de conselheira da OAB-GO.

Em nota encaminhada à reportagem sobre a destituição dos cargos, a assessoria de imprensa da OAB disse que Lúcio Flávio “aceita as considerações dos destituídos”, mas afirma que as mudanças são naturais e foram feitas porque ele considera que, depois de transcorrido metade de seu mandato, o momento é oportuno para reformulação de comissões para “oxigenar a Ordem”.

Para Zannini, entretanto, os argumentos utilizados pelo presidente carecem de fundamentação e não passam de “meras desculpas”. Ela lembra que todos os conselheiros afastados realizam um trabalho excepcional à frente da comissão e não haveria razões para a decisão, senão políticas e pessoais. “Provavelmente, ainda teremos mais destituições”, avisa a advogada.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.