Presidente de associação diz que ampliação do horário da Feira Hippie pode ser permanente

Enquanto a prefeitura diz que novo horário é provisório, Valdivino da Silva, garante que vai lutar para que mudança seja fixa

Foto: reprodução

Depois do acordo entre feirantes e a Prefeitura de Goiânia feito há mais de um mês, a Feira Hippie segue com horário de funcionamento ampliado na Praça do Trabalhador. Com período de montagem entre às 2h e 10h da sexta-feira e funcionamento das 10h horas do mesmo dia às 15h de domingo, não há previsão de que ela volte a funcionar apenas nos finais de semana.

Quem confirmou foi a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Tecnologia (Sedetec). Segundo o órgão, a prefeitura espera que a revitalização da Praça do trabalhador, prevista no projeto do BRT Norte-Sul, comece (reforma que também segue sem previsão) para que a Feira Hippie mude temporariamente de local (lugar ainda indefinido) e, depois, volte com horário de funcionamento antigo.

No entanto, segundo o presidente da Associação dos Feirantes da Feira Hippie, Valdivino da Silva, é possível que a feira permaneça com este horário de sexta a domingo definitivamente. “Está sendo muito bom para os feirantes a ampliação da feira, pois nos permite mais possibilidade de rendimentos, então, vamos lutar para que o horário continue”, afirmou.

Além disso, Valdivino disse que é possível que Feira Hippie funcione na Rua 44 e na Avenida do Contorno enquanto a Praça do Trabalhador estiver em reforma, informação não confirmada pela Sedetec.

Em resposta a reportagem, a assessoria de comunicação da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44) informou que mudança não prejudica lojistas, que compreendem a situação. Entretanto, alguns motoristas e moradores da região não gostaram muito da mudança, principalmente se ela for permanente.

Foi o que disse ao Jornal Opção o assistente de atendimento Douglas Rodrigues, que mora a poucas quadras da Feira Hippie e enfrenta grandes problemas no trânsito quando precisa voltar para casa durante o horário de pico na sexta-feira.

“Eu e outros amigos que moram na região já nos incomodávamos com o trânsito no final de semana aqui na Avenida Independência e, agora, com a feira funcionando nas sextas, enfrentamos o mesmo problema, principalmente no fim do dia”, alegou o assistente.

Deixe um comentário