Presidente da Ucrânia pede negociação com Rússia e sinaliza desistência da Otan

Zelenski comparou invasão russa com ataque da segunda Guerra, abriu diálogo e possível adoção de “status neutro” 

Em pronunciamento diferente nesta sexta-feira, 25, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, pediu negociação com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Sinalizou que está disposta a dialogar e até adotar no país um “status neutro”, isso na prática, seria um sinal de abandono da tentativa de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). 

O líder ucraniano disse que o país não teme falar sobre garantias de segurança. “Não temos medo de falar sobre o status neutro, e não estamos na Otan no momento”, afirmou. O presidente chegou a ressaltar que tal decisão tornaria a Ucrânia vulnerável a futuras agressões. “Mas que garantias e, mais importante, quais países específicos nos dariam garantias?”, questionou. 

Em um discurso durante a tarde desta sexta, em Kiev (pelo horário ucraniano), Zelensky solicitou negociações de paz com o Kremlin. “Eu quero mais uma vez fazer um apelo ao presidente da Federação Russa. Vamos sentar na mesa de negociações e parar as mortes.”

“Vladimir Putin está disposto a enviar uma delegação russa de alto nível a Minsk para negociações com uma delegação ucraniana”, afirmou Peskov, segundo informações de agências russas. Minsk, a capital de Belarus, já era a cidade em que conversações e acordos de paz foram realizados anteriormente entre os dois países, após a ocupação da Crimeia pela Rússia, em 2014.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.