Presidente da Saneago anuncia auditoria em contratos e mudanças no conselho administrativo

Em adequação a nova legislação federal, José Carlos Siqueira informou que secretários do Estado não irão mais compor o conselho de administração da companhia

Novo presidente durante entrevista coletiva na sede administrativa da Saneago, em Goiânia | Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção

Novo presidente durante entrevista coletiva na sede administrativa da Saneago, em Goiânia | Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção

Anunciado nesta segunda-feira (29/8) como o novo presidente da Saneago, o ex-chefe da Casa Civil e atual vice-presidente da Goiás Parcerias, José Carlos Siqueira, anunciou mudanças na composição do Conselho Administrativo da estatal, com a exclusão das secretárias de Estado.

Atualmente, o conselho possui sete membros, sendo três deles auxiliares da gestão estadual. Compõem o quadro os secretários de Saúde, Leonardo Vilela; do Meio Ambiente, Vilmar Rocha; e da secretária da Fazenda, Ana Carla Abrão.

A adequação, esclareceu o novo dirigente, integra novo entendimento apontado pela Lei de Responsabilidade das Estatais, sancionado pelo presidente interino Michel Temer (PMDB) em julho deste ano.

Dentre outras mudanças, a nova norma proíbe a indicação de secretários estaduais ou municipais para o conselho das estatais. “É uma lei recente e vamos proceder a adequação da empresa como um todo. […] A lei estabelece que os secretários não poderão ocupar estes cargos e o caminho vai ser esse”, explicou Siqueira, em entrevista coletiva.

Além da mudança, o novo presidente anunciou, ainda, auditoria em todos os contratos da Saneago relacionados ao setor de investimentos e obras. Ao todo, são aproximadamente 65 contratos, que somam valores bilionários.

“Vamos contratar uma auditoria externa. No Brasil, há quatro empresas capacitadas para este serviço e vamos fazer um chamamento e escolheremos a que oferecer o melhor preço”, afirmou ao esclarecer que o processo deve ser feito sem a necessidade de abertura de um procedimento licitatório.

Sobre a composição da nova mesa diretora, o presidente informou que está prevista para esta semana uma reunião para tratar do assunto. Os novos integrantes, segundo Siqueira, deverão integrar o quadro técnico da companhia de servidores permanentes.

Operação Decantação

Conforme gestão estadual, a escolha do novo presidente vem no sentido de destituir os diretores indicados anteriormente, incluindo o presidente do PSDB de Goiás, Afrêni Gonçalves, e o ex-presidente, José Taveira, para que estes possam se defender das acusações da Operação Decantação.

Durante coletiva, Siqueira evitou fazer qualquer avaliação sobre a ação da Polícia Federal que investiga a existência de uma organização criminosa responsável pelo desvio de pelo menos R$ 4,5 milhões em recursos federais na empresa de saneamento goiana.  “Não cabe a mim fazer qualquer julgamento.”

Durante coletiva, Siqueira sugeriu, ainda, que os diretores técnicos afastados devido à Operação Decantação não devem retornar ao quadro efetivo da empresa. Ele também disse que pretende ampliar de imediato a transparência na companhia, sobretudo quanto aos sistemas de licitação e de contratação.

“Vamos todos nos esforçar para que a continuidade do fortalecimento da Saneago e a melhoria da prestação dos serviços se efetivem em um curto espaço de tempo. Isso resultará numa forte união do corpo de empregados da Saneago e do governo de Goiás no sentido de buscar ferramentas novas que evitem situações como essas que se deram. E reforço que a Saneago contribuirá integralmente com as investigações”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.