Presidente da CMTC diz que é necessária nova concessão do Eixo Anhanguera antes de privatizar Metrobus

Benjamin Kennedy alerta que contrato assinado em 2011 não foi precedido de um processo licitatório, ou seja, automaticamente a Metrobus não detém a concessão

Foto: Reprodução

O presidente da Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), Benjamin Kennedy, declarou, na manhã desta segunda-feira, 17, que, em reunião com o governador Ronaldo Caiado (DEM) na última sexta-feira alertou para detalhes no processo de privatização da Metrobus.

“a concessão que a Metrobus tem para operar a linha do eixo é precária. O contrato assinado em 2011 não foi precedido de um processo licitatório, ou seja, automaticamente a Metrobus não detém a concessão e não pode simplesmente ser privatizada. Seria necessária então uma nova concessão e ai a empresa que ganhar essa concessão é que faria a aquisição das ações da Metrobus”, detalhou o presidente.

Kennedy espera que o governo leve a diante o projeto em questão e insira a prefeitura de Goiânia e a CMTC nesta negociação da Metrobus. “Com a prefeitura já está tudo certo. Não há problema algum. Já dialogamos ao longo dos últimos 15 dias”, finalizou.

Para o representante da Câmara Municipal de Goiânia na  Câmara Deliberativa de Transporte Coletivo (CDTC), Lucas Kitão (PSL) a privatização do eixo pode, sim, ser uma saída, no entanto, o vereador alerta para os cuidados em relação as exigências. “Tenho medo de alguma empresa assumir e continuar prestando o mesmo serviço que é prestado atualmente. Precisamos fazer muitas exigências e ao mesmo tempo implantar mecanismos de cobrança que é o que não temos hoje no transporte coletivo de Goiânia”, analisou.

Na ocasião, Kennedy aproveitou ainda para pedir ao governador para que fossem zeradas as alíquotas e o IPVA para novos veículos que operam o transporte coletivo da capital e região metropolitana.

“O governador ficou de analisar e nos dar uma resposta. Sem essa alíquota e o IPVA já há uma melhora na possibilidades de melhorias para o setor”, declarou Kennedy. Durante a conversa, Caiado lembrou que já existe, inclusive, um processo de privatização da Metrobus implantado pelo Estado e que se encontra a cargo da GoiásPar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.