Presidente da Câmara Deliberativa do Ipasgo ingressa com ação no Judiciário para rever valor da venda do prédio

Contratação de empresa especializada para avaliar a venda foi solicitada. Apesar de valor inicial de R$ 150 milhões, compra foi feita por R$ 128 milhões. SES aponta que negociação seguiu trâmites legais

A Câmara Deliberativa do Instituto de Assistência dos Servidores Públicos de Goiás (Ipasgo) ajuizou ação judicial para rever a venda do Hospital do Servidor de Goiás para a Secretaria Estadual de Saúde (SES). O prédio, onde passará a funcionar o Hospital da Criança, foi adquirido por R$ 128 milhões e será destinado a atender crianças e adolescentes.

Para o presidente da Câmara Deliberativa, Luís Cláudio Coelho de Jesus, o governo utilizou de uma manobra para adquirir o imóvel. Uma reunião extraordinária teria sido convocada por meio do presidente do Ipasgo, Leonardo Lobo, que aprovou a venda. A decisão teria causado prejuízo superior a R$ 222 milhões.

Segundo Luís Cláudio Coelho, a estimativa de valor da venda do Hospital do Servidor girava em torno de R$ 150 milhões. A informação teria sido, inclusive, afirmada, em 16 de dezembro, pelo secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino.

O presidente do conselho informou que, em 17 de dezembro de 2021, os membros do Conselho Deliberativo do Ipasgo se reuniram para deliberar sobre a venda do hospital do servidor. Após discussão, Leonardo Lobo apresentou oferta de venda por apenas R$128 milhões.

Os quatro membros que representam os servidores e o representante dos hospitais e laboratórios prestadores de serviço do Ipasgo, por sua vez, suspenderam a votação. Além disso, solicitaram a cópia integral do processo administrativo de venda do hospital para análise dos laudos de avaliações existentes.

O presidente da Câmara destacou que, na manhã do dia 23 de dezembro, foi surpreendido com a venda, uma vez que o presidente do Ipasgo, sem conhecimento dos quatro membros do CDI, representantes dos mais 600 mil usuários, convocou reunião extraordinária. Além de Leonardo Lobo, participaram da reunião representantes do Poder Executivo, da Federação dos Hospitais e laboratórios. Desta forma, aprovaram a venda do hospital do servidor por 128 milhões.

No processo que tramita no Judiciário, Luís também solicitou a contratação de uma empresa especializada para avaliar a venda do prédio. “Esse hospital foi construído para colocar em funcionamento várias especialidades aos 600 mil usuários. Eles deveriam ter ouvido os servidores públicos”, afirmou o presidente.

Hecad

Com a venda do antigo Hospital do Servidor, o Hospital Estadual da Criança e do Adolescente, pertencente a Secretaria Estadual de Saúde deve entrar em funcionamento nos próximos dias. A nova unidade contará com 78 leitos, sendo 20 Unidades de Terapia Intensiva, além de pronto-socorro, setor de exames de imagens, realização de cirurgias eletivas e atendimento ambulatorial. Um ganho com a nova unidade é o setor de exames de imagem. o Hospital Materno-Infantil não dispunha de aparelho de tomografia, sendo necessário encaminhar os pacientes que necessitavam de exames para outros hospitais.

Nota SES-GO

Procurada pelo Jornal Opção, a Secretaria de Estado da Saúde de Goiás emitiu nota sobre a venda do prédio do Hospital do Servidor. Segundo a pasta, todo o processo para aquisição do prédio, que antes pertencia ao Ipasgo, seguiu os trâmites legais, como aprovação pela Assembleia Legislativa de Goiás (Goiás) e pelo Conselho Deliberativo do Ipasgo (CDI). Além disso, houve sanção de lei estadual que permitiu o ato. Inicialmente, o valor estimado era de R$ 150 milhões, entretanto, após análises, a compra pela SES-GO foi realizada por R$ 128 milhões, conforme definição do CDI.

A secretaria ressaltou que, no local, funcionará o Hospital Estadual da Criança e do Adolescente, que irá suprir uma demanda que clama há anos por soluções concretas no Estado. Haverá estruturação de um serviço de pediatria que atenderá todos os goianos de forma integral, universal e equânime, sendo referência na área.

Em relação aos serviços do Ipasgo, os servidores que contribuem com o plano não serão desassistidos, pois o planejamento para o Instituto é de ampliação da rede credenciada, com descentralização dos serviços em diferentes unidades de saúde, localizadas em pontos estratégicos de todo o território goiano e não somente na capital, como seria com o Hospital do Servidor.

Confira a nota na íntegra:

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) informa o que segue:

– Todo o processo para aquisição do prédio, que antes pertencia ao Instituto de Assistência dos Servidores Públicos de Goiás (Ipasgo), seguiu os trâmites legais, como aprovação pela Assembleia Legislativa de Goiás (Goiás) e pelo Conselho Deliberativo do Ipasgo (CDI), além de sanção de Lei estadual permitindo o ato. Inicialmente, o valor estimado era de R$ 150 milhões, entretanto, após análises a compra pela SES-GO foi realizada por R$ 128 milhões, conforme definição do CDI.

– No local, funcionará o Hospital Estadual da Criança e do Adolescente, que irá suprir uma demanda que clama há anos por soluções concretas no Estado, que é a estruturação de um serviço de pediatria que atenderá todos os goianos de forma integral, universal e equânime, sendo referência na área.

– Em relação aos serviços do Ipasgo, os servidores que contribuem com o plano não serão desassistidos, pois o planejamento para o Instituto é de ampliação da rede credenciada, com descentralização dos serviços em diferentes unidades de saúde, localizadas em pontos estratégicos de todo o território goiano e não somente na capital, como seria com o Hospital do Servidor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.