Helio criticou o Grupo Jaime Câmara, disse que reportagem desmoralizou funcionários da Casa e humilhou a entrevistada na matéria da TV Anhanguera. “Tentaram destruir a vida daquela senhora”

Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Helio de Sousa (DEM) | Foto: Marcos Kennedy
Presidente da Assembleia Legislativa, deputado Helio de Sousa (DEM) | Foto: Marcos Kennedy

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Helio de Sousa (DEM), utilizou a tribuna de forma excepcional, na tarde desta quinta-feira (8/10), para criticar duramente a reportagem realizada pela Grupo Jaime Câmara (GJC) sobre a suposta existência de funcionários fantasmas na Casa.

Helio criticou em especial a matéria veiculada pela TV Anhanguera, que repercutiu nacionalmente após a ex-funcionária Edinair Maria dos Santos Moraes fugir de uma repórter da emissora. A mulher virou meme nas redes sociais após ser apontada como provável funcionária fantasma do Legislativo goiano. A reportagem flagrou ela e outros servidores batendo ponto e indo embora logo em seguida.

[relacionadas artigos=”47062″]

“Tentaram destruir a vida daquela senhora e ela não merecia aquilo”, afirmou o democrata, que garantiu ter exonerado a mulher somente porque ela disse à reportagem que não era funcionária da Casa. Helio ainda sugeriu que Edinair tem “algum problema de saúde”.

“Ela bateu o ponto e ficou sentada por duas horas em um banco. Qualquer pessoa em condições normais de saúde não faz isso. Eu, como médico, entendo que aquela senhora tem algum problema. E ela foi humilhada por aquela reportagem.”

Helio de Sousa frisou por diversas vezes que na Assembleia não possui fantasmas e que o GJC veiculou o material como se fosse “dona da verdade”. O deputado afirmou que não terá medo nem se envergonhará da Assembleia, e que discursa para enfrentar a questão ao ver que os trabalhadores estão sendo desmoralizados. “Não compro silêncio de jornalista! Não vou pagar para publicidade”, disse.

O presidente ainda questionou a matéria, que garantiu ter encontrado 21 servidores fantasmas mas, de acordo com ele, mostrou apenas três. “Mesmo assim, continuam batendo. E esses 18 sim, que nunca apareceram, são fantasmas, porque são criação daqueles jornalistas. Foi tudo criado em uma mente que busca destruir um poder”, disse, afirmando que o veículo de comunicação deve ao povo goiano respostas.

Ainda em discurso, Helio pediu aos servidores da Assembleia que quando se encontrarem nos corredores com algum dos jornalistas que ajudaram na produção da matéria de denúncia, que dê flores a eles. “Vamos continuar respeitando a imprensa, menos aqueles que fogem da lógica sendo espiões para tentar fiscalizar essa Casa.”

O presidente da Assembleia frisou ainda que os servidores não precisam temer, porque todas as regras de trabalho são embasadas em leis. “Nenhum servidor está proibido de bater o ponto, ir tomar um café e depois voltar ao trabalho. É logico que isso não deve ser caraterizado como abandono de emprego ou como fantasma.”

Helio disse ainda que “lamentavelmente” os mesmos jornalistas que fizeram a matéria citada estão vasculhando há uma semana o site da Transparência da Casa. “Já fizeram mais de 700 acessos para tentar saber onde você está lotado, onde você está trabalhando. Não temam, podem ter orgulho de dizer para qual deputado trabalham.”

Por fim, o presidente ainda atacou a empresa, dizendo que “tirando uma organização, a imprensa goiana faz um trabalho fantástico”. “Vale lembrar que é por aqui que libera tudo aquilo que é investido em comunicação em Goiás. Somos muito maiores e mais fortes do que muita gente pensa.”