Presidente da Acieg diz que setor produtivo está insatisfeito com governos estadual e federal

Euclides Siqueira criticou a redução de incentivos fiscais para o Centro-Oeste em R$ 5,1 bilhões

Foto: Reprodução/Facebook

O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Euclides Siqueira, relata que os empresários estão descontentes com as últimas medidas do governo estadual e do presidente da república sobre a região.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou decreto que retira R$ 5,1 bilh de incentivos fiscais do Centro-Oeste. Isso, por meio de veto à extensão de benefícios para a área compreendida pela Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco).

Além disso, no fim de 2018, o governo, com articulação do governador Ronaldo Caiado (DEM), aprovou a Lei de Convalidação dos incentivos com redução dos percentuais descontados de 14 segmentos da indústria.

“Isso é muito perigoso, porque as empresas que quiserem vir se instalar em Goiás poderão voltar atrás e ir para o estado mais favorável”, explica Euclides. Para ele, isso desmotiva o investimento e crescimento econômico.

Siqueira ainda destacou que as indústrias que já estão em Goiás podem se adequar, mas o real prejudicado é o consumidor. Essa redução implica no aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). “Com isso, a mercadoria aumenta de preço e quem sofre é sempre a população”, afirma.

O presidente ainda aponta outras desvantagens, como a possibilidade de retirada dessas indústrias do Estado e sequente demissão em massa de empregados, diminuição de renda e, automaticamente, de poder de compra.

O descontentamento dos empresários em relação a essas medidas é evidente, conforme revela Siqueira. “O governo federal foi eleito com a premissa de escutar os setores, mas isso não está acontecendo, queremos ser ouvidos”, protesta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.