Prefeitura volta atrás e cede em pontos da reforma administrativa

Integrante do Simsed garante que se gestão atender a apenas duas das reivindicações, greve está longe de ter fim

Com greve dos servidores da Educação e da Saúde, Prefeitura de Goiânia resolveu atender algumas das reivindicações referentes ao Projeto de Lei da Reforma Administrativa. Conforme informações de um assessor, a gestão disse que enviaria à Câmara Municipal um substitutivo, mas enviou na tarde desta quinta-feira (16/4) um novo projeto, e pediu o arquivamento do antigo.

Dentre as alterações, está a padronização do quinquênio para todas as categorias com o percentual de 10%. Conforme o atual projeto, o quinquênio estava reduzido de 10% para 5%. O documento foi elaborado após reunião do prefeito Paulo Garcia (PT) com vereadores da base.

De acordo com Hugo Rincon, integrante do Simsed, informações garantem que além do quinquênio, prefeitura também mudou ponto que tirava a incorporação da gratificação de secretários-gerais e diretores, além de reduzir a gratificação destes últimos.

Hugo garante que se prefeitura atender apenas a essas reivindicações, greve está longe de um fim. Professor sustenta que categoria não irá recuar na exigência do retroativo da data-base do administrativo, do pagamento de titularidades e progressões e dos 30% de gratificação dos auxiliares de atividades educativas.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.